BTG (BPAC11): BrasilAgro (AGRO3) deve se beneficiar do boom de preços das commodities agrícolas

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: BrasilAgro/Divulgação

A BrasilAgro (AGRO3) anunciou a venda de 2,86 mil ha de terras aráveis ​​na fazenda Rio do Meio na Bahia ao valor total de R$ 130,1 milhões (o 3º maior da história) ou R$ 45,5k/ha (arável), equivalente a 250 sacas de soja por ha. Em relatório, o BTG Pactual (BPAC11) ressalta que a empresa deve se beneficiar do boom de preços das commodities agrícolas.

A empresa receberá R$ 15,9 milhões em 2021 com o saldo sendo pago em 7 parcelas.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

A Fazenda Rio do Meio foi adquirida pela BrasilAgro no início de 2020 por meio de Constituição da Agrifirma e teve um valor contábil de R$ 40 milhões, implicando em um impressionante TIR de 56,5% na venda, diz o BTG Pactual (BPAC11) em relatório.

A fazenda possuía uma área agricultável de 8,5k ha, deixando ainda estimados 5,6k ha sob a propriedade da BrasilAgro, e tinha 90% + de áreas desenvolvidas com base na versão mais recente.

A recente avaliação independente avaliou a média hectare arável na fazenda a R$ 29,1 mil (R$ 32,3 mil com base no valor interno de avaliação da empresa), e embora isso possa variar de acordo com os níveis de produtividade em cada parte da fazenda ainda implica que há espaço para mais apreciação do valor das terras agrícolas para ser capturado no portfólio da empresa.

A subida dos preços das terras agrícolas continua

A consultoria IHS Markit/FNP acaba de divulgar seu valor bimestral de terras agrícolas no Brasil, e mais uma vez destacou o ambiente favorável aos preços de terras no país.

Em julho/agosto de 2021, os preços médios das terras agrícolas registraram uma alta de 32% a/a, o maior ganho na série histórica, e avançou 7% a mais desde o relatório de maio/junho.

“Curiosamente, áreas de alta produtividade com cultivo de grãos na região do Rio do Meio/BA foram avaliadas pela FNP em ~ R$ 42k/ha, praticamente em linha com o valor que acaba de ser anunciado pela BrasilAgro”, diz o BTG.

A empresa de consultoria também mencionou que, embora a liquidez em algumas regiões tenha sido prejudicada pela forte valorização dos preços, em geral a demanda por terras agrícolas permanece forte e os fundamentos são de suporte.

Melhor forma de valorizar terras agrícolas no Brasil

Há vários meses, o BTG defende a favor do valor das terras agrícolas como um dos principais beneficiários do recente boom de preços das commodities agrícolas, e a BrasilAgro é a aposta mais forte possível nisso no Brasil.

“Vemos o AGRO3 sendo negociado a um atraente 0,65x P/NAV sob a nova avaliação e considerando a posição do balanço do 4TRI21, reiteramos nossa compra”, diz o BTG, que fixou preço teto de R$ 44.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo