BTG (BPAC11) destaca que Bradesco (BBDC4) está barato no atual valuation

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

O BTG Pactual (BPAC11) acredita que o Bradesco (BBDC4) reportou um terceiro trimestre bastante decente, com lucro líquido recorrente 6% acima de das estimativas do consenso de mercado, embora os resultados de tesouraria tenham caído quase 30% na comparação trimestral e a alíquota de imposto tenha sido maior do que o esperado.

Além disso, o lucro por ação (LPA) do Bradesco veio 6% acima do consenso, mas com qualidade melhor.

De acordo com o BTG, o Bradesco também melhorou seu guidance para o ano, sugerindo um quarto trimestre decente à frente.

O banco destaca que a economia brasileira está ficando mais fraca e isso deve se traduzir em maiores inadimplências e provisões em 2022. Mas com um forte índice de cobertura, capital sólido e melhor resultado na vertical de seguros em 2022, o BTG acredita que o Bradesco pode proteger bem sua lucratividade em águas turbulentas. Sem mencionar o barato valuation de 1,2x o valor contábil atual.

O BTG reforça recomendação de compra para ações do Bradesco (BBDC4) e preço-alvo de R$ 29,00.

Seguros foram destaque no trimestre

Após ser duramente atingido por sinistros relacionados ao Covid-19 no 2º trimestre, os resultados da vertical de seguros já mostraram uma recuperação muito forte neste trimestre.

Os prêmios aumentaram 7% no 3º trimestre, com maior demanda de pessoas físicas (mais pessoas dispostas a comprar proteção). Como resultado, o Bradesco aumentou sua projeção de crescimento de 2021 para seus resultados de seguros de -10% a 0% (vs. -15% a -20% anteriormente).

Além disso, as carteiras de saúde e vida apresentaram melhorias nos índices de sinistralidade, permitindo que o segmento aumentasse sua contribuição para os resultados do grupo de 10% no segundo trimestre para 23% neste trimestre.

Na verdade, os resultados de seguros mais do que dobraram em relação ao trimestre anterior. Na visão do BTG a vertical de seguros deve oferecer “bons frutos” em 2022.