BTG (BPAC11): Banco do Brasil (BBAS3) teve 3TRI21 acima do esperado

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação

Relatório do banco BTG Pactual (BPAC11) avalia que o Banco do Brasil (BBAS3) reportou resultados melhores do que o esperado no terceiro trimestre. De acordo com o banco de investimento, o que ajudou no resultado foram ganhos de tesouraria e outras receitas operacionais consideradas muito fortes, tais como ganhos do Previ.

Em teoria, estes são linhas de resultado de “qualidade inferior”. Porém, ajudaram a impulsionar o forte resultado.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Além disso, a margem financeira de crédito teve um desempenho considerado bom. E a alíquota efetiva de imposto veio pior do que o esperado (o que significa que o resultado poderia ter sido ainda maior). Já as provisões para perdas com empréstimos representaram 113% dos novos NPLs, ajudando na qualidade dos números.

BTG (BPAC11): guidance ampliado com mais empréstimos

O documento avalia ainda que os empréstimos cresceram 6%, frente ao trimestre anterior, e 12% frente ao 3TRI20. Como consequência, o guidance para o ano foi ampliado. A margem financeira total (incluindo recuperações) foi o principal destaque positivo, com alta de 10% frente ao trimestre anterior; e 8% acima da estimativa BTG.

Margem financeira de crédito (acréscimo de 6% frente ao 2TRI21 e de 13% frente ao 3TRI20) e recuperações de empréstimos (crescimento de 17% no trimestre ante 2TRI21 e queda de 3% contra o 3TRI20) foram bem. Ma os ganhos de tesouraria foram o principal motivo de um resultado tão acima do consenso. Este obteve crescimento de 65% contra o trimestre anterior e 88% acima do terceiro trimestre de 2020.

Assim como os demais bancos, as receitas de serviços e comissões surpreenderam positivamente. Estas foram auxiliadas pelos segmentos de gestão de ativos e consórcio. Os resultados provenientes de outras subsidiárias, como Cielo (CIEL3) e BB Seguridade (BBSE3), também mostraram fortes melhorias em termos de relação/trimestre.

Por sua vez, o índice de inadimplência em 90 dias permaneceu praticamente estável em 1,82%. Ainda assim, as provisões brutas aumentaram 43% sequencialmente, 4% da projeção.

Provisionamento elevado

Como resultado, o banco provisionou mais do que os novos inadimplentes no trimestre e conseguiu garantir um índice de cobertura muito elevado de 323%. O “core capital” caiu 30 bps sequencialmente, mas atingiu 13,2%, acima dos pares privados.

Com um lucro líquido mais forte no terceiro trimestre, o BB aumentou sua projeção de lucro líquido ajustado para 2021 para algo em torno de R$ 19 bilhões a R$ 21 bilhões contra R$ 17 bilhões e R$ 20 bilhões antes.

No geral, achamos que há mais coisas para gostar do que não gostar nos resultados do BB. Na verdade, acreditamos que foi uma temporada de resultados bastante decente para os bancos incumbentes, especialmente para o BB. Temos uma recomendação Neutra”, informa relatório.

Resultado do 3TRI21

O Banco do Brasil (BBAS3) registrou um lucro líquido de R$ 4,6 bilhões no terceiro trimestre de 2021, alta de 49% na comparação com o mesmo período de 2020. No acumulado de 2021, o lucro líquido apresentou um avanço de 51,2%, aos R$ 14,35 bilhões.

A margem financeira bruta ficou em R$ 15,68 bilhões entre julho e setembro deste ano, crescendo 12% na base anual.