BTG (BPAC11): Armac (ARML3) adquire Bauko e diversifica risco com exposição ao segmento de varejo

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A Armac (ARML3) anunciou a aquisição de 100% da Bauko por R$ 213 milhões, uma das maiores empresas de aluguel de empilhadeiras do mercado brasileiro. O BTG Pactual (BPAC11) analisou a operação em relatório divulgado nesta quarta-feira (17).

Dos R$ 213 milhões serão pagos R$ 107 milhões adiantado e o restante em 18 parcelas mensais de ~ R$ 5 milhões e uma última parcela de R$ 13 milhões a serem pagos em 60 meses, o que implica um múltiplo transacional de 4,3x EV/EBITDA.

A Bauko tem 2,9 mil máquinas. Esta é a segunda aquisição que a Armac anunciou desde seu IPO (em agosto, ela adquiriu a RCB, uma empresa de plataformas de trabalho aéreo, por ~4,5x EV/EBITDA), e está de acordo com discurso da gestão de que eles poderiam explorar oportunidades de fusões e aquisições em caso de negócios que agreguem valor para consolidar a empresa como uma plataforma de one stop shop.

O BTG diz que gosta do acordo pelas seguintes razões:

Avaliação barata (em linha com a RCB – e consideravelmente inferior a ARML);

Assegura o crescimento da frota em um momento de escassez de equipamentos (os fabricantes de equipamentos estão tendo problemas para lidar com a crescente demanda de máquinas);

Dá exposição à Armac ao segmento de varejo, diversificando o risco do mercado final, além de expandir o mercado endereçável da Armac, acrescentando uma nova gama de clientes;

Expande a exposição do Armac a máquinas elétricas, ajudando em suas métricas ESG;

Alto potencial para sinergias (principalmente através da estrutura de custos mais baixos do Armac).

As ações do ARML3 subiram 32% desde o IPO com uma classificação de compra no nome.

Um breve panorama da Bauko

A Bauko é a maior empresa de aluguel de empilhadeiras no Brasil. Com um histórico de +30 anos, a Bauko é uma das maiores empresas de aluguel de empilhadeiras no mercado brasileiro.

A empresa está focada no aluguel de equipamentos elétricos e de combustão através de contratos de longo prazo.

A Bauko tem atualmente um backlog contratado de ~R$600 milhões, com sólidas relações comerciais que, em alguns casos, duram mais de 20 anos.

A empresa possui ~2,9 mil máquinas com uma média de idade de 3 anos e tem uma receita bruta anualizada de R$229 milhões (+16% a/a) com um EBITDA anualizado de R$58 milhões (28,5% de margem bem abaixo dos ~54% da ARML).

Finalmente, a empresa tem uma dívida líquida de R$ 41 milhões. A assinatura e o fechamento da transação já ocorreram.

“Lembramos que a aquisição da Bauko dá à Armac exposição ao segmento de varejo, já que a maioria de suas empilhadeiras são aplicadas em grandes centros de distribuição e logística (enquanto as empilhadeiras da Armac são em sua maioria utilizados na indústria de fertilizantes atualmente). O Armac também está expandindo sua exposição em equipamentos elétricos, complementando o portfólio de plataformas aéreas”, diz o BTG.

Armac torna-se fornecedor de portfólio completo

O Armac explicou a aquisição usando o seguinte raciocínio: (i) expansão do mercado endereçável, aumentando a exposição da empresa no negócio de empilhadeiras, saltando de 103 para 2.997 unidades em tal segmento, e permitindo assim uma escala superior em um mercado final altamente sinérgico a Armac; (ii) fortalecimento da plataforma one-stop-shop de um único fornecedor de máquinas, o que desencadeia um participação relevante na carteira de grandes clientes; (iii) capturar sinergias, beneficiando-se da maior escala na estrutura de manutenção interna da Armac, reduzindo os custos operacionais das máquinas e prolongando o ciclo de vida do ativo.

O BTG lembra que esta é a segunda aquisição anunciada pela Armac pós-IPO, como a empresa anunciou em agosto a aquisição da RCB, uma empresa que fornece plataformas de trabalho aéreo, com uma frota total de 354 máquinas (idade média da frota de 4 anos, inferior à média da indústria).

A RCB recebeu um EV de R$ 43 milhões (dívida líquida implícita de R$ 17 milhões), que de acordo com cálculos do BTG (assumindo uma margem EBITDA média da indústria de 50%) implica um EV/EBITDA de ~4,5x (para se aproximar a 3x, incluindo sinergias).

Além de uma avaliação barata, a aquisição da RCB foi outro movimento destinado a melhorar o perfil do Armac de one stop shop.

Negócio deve melhorar as principais vantagens competitivas

Apesar de ter realizado dois negócios pós-IPO, a Armac reforçou que a aquisição de Bauko representa uma oportunidade de alocar capital com altos retornos, explicando que o crescimento orgânico em equipamentos pesados continua sendo o foco principal da administração.

O BTG acredita que tais aquisições também se alinham com a intenção da empresa para assegurar o crescimento da frota em um momento de escassez de equipamentos (as montadoras estão tendo problemas lidando com a forte demanda de máquinas em expansão).

Em termos de valuation, a aquisição implica em um múltiplo 4,3x EV/EBITDA (em linha com as aquisições da Fendt e da Vamos pela RCB e Monarca), significativamente mais barato do que os atuais 18,5x EV/EBITDA 2022 da Armac (acréscimo de valor de aproximadamente R$ 2,4/ ação, ou 11% do valor de mercado).

Na opinião do BTG, as vantagens econômicas do Armac são (i) uma estrutura verticalizada de manutenção de veículos e (ii) uma base de clientes diversificada, mitigando os riscos específicos de determinados setores; e (iii) retornos superiores à média, graças à sua capacidade de proporcionar serviço de aluguel ao longo de todo o ciclo de vida do bem.

Os riscos-chave para a tese de investimento do BTG são: (i) riscos de execução relacionados a fortes expectativas de crescimento; (ii) falta de capital humano à medida que a frota da empresa se expande materialmente; e (iii) impacto provável da listagem do Armac sobre as concessionárias e locadoras, potencialmente reforçando a concorrência.

Por fim, o BTG mantém sua classificação de compra para Armac. Preço-alvo de R$ 30.