BTG (BPAC11): Alliar (AALR3) mostra forte recuperação

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Relatório do BTG Pactual (BPAC11) sobre os resultados financeiros da Alliar (AALR3) mostra uma forte recuperação da empresa no quarto trimestre. Os trimestres anteriores foram afetados por fracos resultados por conta da intensificação da pandemia de Covid-19.

Apesar de ter obtido bons resultados, a Alliar registrou uma queda nas receitas de ressonância magnética. Este item, considerado o serviço mais importante, caiu 1,2% frente a 2019. Em consequência, as receitas de exames de imagem caíram 2%, informou o relatório do BTG.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Porém, o fornecimentos de testes para o novo coronavírus deu um impulso ao segmento de análise clínica. Tanto que esse segmento registrou um crescimento de 9,4% frete ao ano anterior.

BTG (BPAC11): receita líquida fica acima das projeções

A receita líquida da AALR3, ficou 3% acima do projetado pelo BTG. Ao alcançar R$ 316 milhões, registrou um aumento de 11% ante o quarto trimestre do ano anterior.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), atingiu R$ 67,5 milhões e ficou em linha com o esperado. Esse item registrou aumento de 13% se comparado com o três últimos meses de 2019.

Já o lucro líquido contábil, atingiu R$ 13 milhões no período. Foi quase o dobro do quarto trimestre de 2019, quando ficou em R$ 7 milhões. Também ficou acima da projeção do BTG, que era de R$ 8 milhões.

A Alliar registrou lucro líquido recorde de R$ 12,7 milhões no quarto trimestre, representando uma alta de 71,2% em relação ao mesmo período de 2019. Mas no acumulado do ano de 2020, a empresa reportou prejuízo líquido de R$ 97,4 milhões contra um lucro de R$ 41,3 milhões em 2019.

O relatório informa também que foram positivos os resultados no quarto trimestre. “Mas acreditamos que os resultados foram mais provavelmente ajudado pelo fornecimento de testes contra covid-19. Permanecemos neutros devido à incerteza em torno de uma recuperação sustentável e os riscos associados ao seu balanço patrimonial alavancado”, informa trecho do documento.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3