BTG avalia positivamente a aquisição da Laureate pela Ânima (ANIM3)

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação / site

A Ânima publicou um fato relevante ontem (2) informando que finalmente assinou a transação acordo com o Grupo Laureate para aquisição de seus ativos no Brasil.

Em relatório, assinado pelos analistas Samuel Alves e Yan Cesquim, o BTG escreveu que a “Laureate é uma boa opção para o portfólio de alta qualidade da Ânima”.

Com operações em 13 cidades (em sete estados), os ativos brasileiros da Laureate compreendem marcas tradicionais que costumam ser referências de qualidade acadêmica.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

De acordo com dados recentes divulgados pelo MEC (Ministério da Educação) sobre a qualidade do aluno em 2019 processo de avaliação, os ativos da Laureate superaram vários pares listados, e apenas desempenho marginalmente inferior às principais marcas da Anima.

O BTG destaca que a transação é um movimento estratégico da Ânima, especialmente quando se trata de exposição ao curso de medicina.

Com esta transação, a Ânima aumentará seu potencial de curso de medicina para 2.260 vagas contra 1.228, ficando atrás da líder do setor Afya (com potencialmente 2.447 cursos de medicina assentos).

O Banco acredita que os fundamentos por trás da recuperação de margem do Ânima são menos dependentes do cenário macro atualmente adverso (por exemplo, foco em nicho de alta qualidade, sinergias de aquisições recentes e exposição relevante a cursos de medicina), enquanto M & As trazem riscos positivos.

Dessa forma, a Ânima continua sendo o nome preferido pelo BTG no setor de Educação.

Assim, o banco reitera a recomendação de compra para o papel, com preço-alvo de R$ 31,00.

Negócio pode atingir R$ 4,7 bi

A Ânima ofereceu EV de R$ 4,4 bilhões pelos ativos, incluindo um dívida líquida estimada em R$ 623 milhões, o que implica um ajuste de 10,7 vezes Ebitda estimado 2020.

Segundo o BTG, a cifra está ligeiramente acima do atual da Ânima de aproximadamente 9 vezes em 2020, ou 6,7 vezes EBitda ao considerar as sinergias (anual ganhos de cerca de R$ 250 milhões a serem capturados até 2026).

Há também um ganho incremental de R$ 200 milhões do preço de compra que a Laureate poderia receber (com base no potencial aprovação de mais 135 assentos de remédios), enquanto a Anima também pagará os R$ 180 milhões de taxa de rescisão devida à Ser Educacional (SEER3).

Então, o EV potencial, considerando o ganho e a taxa de rescisão, deve totalizar R$ 4,7 bilhões (para 100% do ativo).

Aquisição envolve desinvestimentos simultâneos

A operação também envolve a venda concomitante de 100% da FMU (uma das marcas da Laureate em São Paulo, com 44,9 mil alunos de graduação) ao fundo Farallon (que já celebrou um contrato, anexo à proposta da Anima para a Laureate) por R$ 500 milhões.

O Ebtida da FMU não foi divulgado, mas o BTG estima que seja avalaido em R$ 9 mil / aluno (abaixo da avaliação de todos os ativos da Laureate, que foi definida em R$ 17,5 mil / aluno, conforme FMU não oferece cursos de medicina).

Conforme acordado com a SER (SEER3), a Ânima também pode vender outros marcas. A SER pode optar por receber a multa de R$ 180 milhões ou aguardar o fechamento do transação entre Laureate e Anima e receber o direito de futura propriedade de 100% de FPB e UNIFG.

A Anima também concederá à SER uma opção de compra para marcas, UniRitter, FADERGS e IBMR.

UniRitter e FADERGS são líderes locais em Porto Alegre, enquanto IBMR é um nome tradicional no Rio de Janeiro.

Números do Grupo Laureate

Com 251 mil alunos de graduação (ou 196,5 mil alunos excluindo a marca FMU – em 2018, por dados do INEP) e 9 marcas locais, Laureate (operadora global postsec listada nos EUA) é o 4º maior player do segmento no Brasil.

Suas operações no Brasil têm receita líquida de R$ 2,2 bilhões e R $ 413 milhões em (ex-IFRS16) Ebitda, com margem de 19%.

Tem forte exposição ao negócio local (17% de sua base de alunos está em EAD), e também está fortemente exposto a
Estado de São Paulo (47% da base de alunos principalmente via Anhembi Morumbi e FMU), Bahia (12% com marca Universidade Salvador) e Rio Grande do Sul (11% com Fadergs e marcas UniRitter).

A Laureate também tem exposição relevante aos cursos de medicina, com 897 vagas (e 4,4 mil alunos), e nenhum dos ativos acima que poderiam ser vendidos exposição a cursos de medicina.

Quer saber mais como investir no mercado de ações? Preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos poderá ajudá-lo a encontrar as melhores opções.