Braskem (BRKM5): SEC e o Departamento de Justiça dos EUA finalizam monitoria

Marcelo Hailer Sanchez
Jornalista, Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Pesquisador em Inanna (NIP-PUC-SP). Trabalhei nas redações do Mix Brasil, Revista Junior, Revista A Capa e Revista Fórum. Também tenho trabalhos publicados no Observatório da Imprensa e revista Caros Amigos. Sou co-autor do livro "O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente" (AnnaBlume).

Crédito: Divulgação

A Braskem (BRKM5) revelou que a Securities and Exchange Commission (SEC) e o Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) encerraram a monitoria.

Segundo a Braskem, o término da monitoria se dá por conta do reconhecimento da SEC e do DoJ.

As instituições atestaram a implementação de todas as recomendações relativas à estruturação e seu programa de conformidade.

De acordo com a empresa, os dois órgãos concluíram que o “programa atende aos padrões estabelecidos pelos referidos acordos”.

A petroquímica destaca que o fim da monitoria independente certifica de que a mesa “cumpriu com as obrigações estabelecidas”.

A monitoria durou três anos e surgiu de um acordo entre Ministério Público Federal, SEC e DoJ.

O monitoramento foi instituído em 2017 no âmbito da operação Lava Jato e fazia parte dos acordos de leniência.

Por fim, a Braskem se tornou a primeira empresa brasileira a obter a certificação após casos de corrupção nos EUA.