BRF (BRFS3) contrata linha de crédito rotativo de R$ 1,5 bi junto ao BB (BBAS3)

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: BRF- Unidade de Ponta Grossa/PRFoto: Germano Lüders21/03/2014

A BRF (BRFS3) comunicou nesta quarta-feira (28) que realizou a contratação de uma linha de crédito rotativo junto ao Banco do Brasil (BBAS3).

O contratado foi até o limite de R$ 1,5 bilhão, pelo prazo de 3 anos.

“A referida linha de crédito poderá ser desembolsada total ou parcialmente a critério da companhia, quando necessário”, diz a BRF, em comunicado ao mercado.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

Adicionalmente, a BRF realizou, mas com recursos próprios, a liquidação antecipada de contrato de empréstimo junto ao mesmo Banco do Brasil.

Tal obrigação venceria entre agosto de 2021 e janeiro de 2022 e era de R$ 1,57 bilhão.

“Dessa forma, a companhia continua atuando na otimização de sua estrutura de capital, reduzindo o custo médio do seu endividamento financeiro e mantendo, ao mesmo tempo, uma sustentável posição de liquidez de curto prazo”, conclui.

Qualicorp (QUAL3) adquire, da Health, carteira com 4,3 mil vidas

A Qualicorp (QUAL3) adquiriu, da Health, carteira contendo aproximadamente 4,3 mil vidas, no segmento coletivo por adesão, no estado de São Paulo e atendidas pelo Grupo Notre Dame Intermédica (GNDI3).

A operação inclui portfólios da Green Line e Santamália, operadoras de saúde da própria Notre Dame Intermédica.

A transação envolve somente os direitos e obrigações sobre a carteira.

“As vidas adicionadas à carteira da Qualicorp serão absorvidas pela Clube de Saúde Administradora de Benefícios Ltda., controlada da Qualicorp com atuação voltada para operadoras que atendem os públicos C, D e E, um dos segmentos de negócio e foco de crescimento da empresa”, informou em comunicado ao mercado.

Minerva (BEEF3) investe US$ 4 mi na Clara Foods

A Minerva (BEEF3) anunciou sua primeira venture capital, a Clara Foods.

“Em linha com a estratégia anunciada, a Minerva está investindo US$ 4 milhões na Clara Foods”, informou a empresa em nota ao mercado.

A Clara Foods é “uma startup inovadora de alimentos” sediada em São Francisco, Estados Unidos.

É pioneira no desenvolvimento de produtos proteicos, por meio de um processo de fermentação e isentos de proteína animal, “solucionando assim um dos maiores empecilhos da indústria de alimentos e bebidas”.

A Clara Foods foi financiada pela IndieBio, aceleradora científica, também localizada em San Francisco.

“A iniciativa de venture capital da Minerva é um veículo de investimento criado recentemente que terá como foco startups e empresas de tecnologia com competências altamente inovadoras, estritamente relacionadas com a cadeia de produção da companhia (proteínas alternativas, logística, gado, agro-tecnologia e varejo alimentar), com potencial, de longo prazo, para aumentar sinergias, alavancar nossas capacidades e desbloquear oportunidades únicas”, concluiu.

Banco do Brasil (BBAS3): TCU conferiu ao BB nível de adequação geral de excelência

O Tribunal de Contas da União (TCU) conferiu ao Banco do Brasil “nível de adequação geral de excelência, após conclusão de trabalho relacionado à adequação das empresas estatais federais à Lei das Estatais”.

A avaliação conduzida pelo TCU analisou dimensões consideradas estruturantes na lei,

Inclui interesse público e função social; compliance e gestão de riscos; transparência e licitações e contratos; e governança corporativa.

Foram avaliadas quatro classificações possíveis: excelência, superior, suficiente e insuficiente.

Da 20 estatais analisadas, o BB foi a única do setor financeiro a atingir a classificação de adequação geral de excelência.

Se você quer investir no mercado de renda variável preencha o formulário abaixo que um assessor daEQI Investimentos vai entrar em contato.