BRF (BRFS3): conheça uma das maiores produtoras e exportadoras de alimentos do mundo

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: BRF/Divulgação

Um dos maiores produtores e exportadores globais de alimentos do mundo, a BRF (BRFS3) nasceu da fusão de duas tradicionais marcas de Santa Catarina: Perdigão e Sadia.

Com 87 anos de história e uma equipe com mais de 100 mil colaboradores, espalhados por 117 países, a BRF (BRFS3) atende mais de 300 mil clientes em todo o mundo.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Tem 40 centros de distribuição, além de mais de 4 mil produtos e 4,5 milhões de toneladas de alimentos comercializados em todo mundo.

Vamos conhecer melhor esta empresa?

História da BRF (BRFS3)

A companhia tornou-se uma das maiores companhias de alimentos do mundo, graças ao nascimento de suas principais marcas.

Foi na década de 1930, no interior de Santa Catarina, que a Perdigão surge como um pequeno negócio de duas famílias de imigrantes italianos.

Na década seguinte, foi a vez de Concórdia, também em Santa Catarina, receber a Sadia. De lá para cá, a fusão desses dois negócios, em 2009, deu origem a um dos maiores complexos agroindustriais do mundo, a BRF (BRFS3).

No Brasil, a empresa opera diferentes tipos de fábricas: processamento de carne, margarina, massas e sobremesas. Possui 34 complexos industriais, todos ficam localizados próximo aos fornecedores de matéria-prima ou dos principais centros consumidores. Possui ainda um avançado sistema de logística no mercado interno, com 22 centros de distribuição (entre próprios e terceiros), todos atendendo a supermercados, lojas de varejo, atacadistas, restaurantes e outros clientes.

No mercado internacional, a BRF (BRFS3) mantém 41 escritórios, que atendem clientes em 117 países. Opera sete unidades industriais, sendo uma na Arábia Saudita, uma em Abu Dhabi, duas na Romênia e três na Turquia. Adicionalmente, continua a operar 28 centros de distribuição localizados na Ásia, Américas e Oriente Médio.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

BRF

Companhias do grupo

Com atuação global, a BRF (BRFS3) constrói suas marcas considerando as particularidades de cada mercado, com propostas que conectam consumidores em centenas de países. São mais de 4 mil produtos. Abaixo estão as marcas brasileiras da empresa.

  • Sadia
  • Perdigão
  • Qualy
  • Banvit
  • Sulina
  • Kidelli
  • Balance
  • Chester
  • Claybom
  • Deline
  • Mercato
  • Miss Daisy
  • Sofitelli

Estratégias da empresa

A BRF (BRFS3) almeja ser a mais inspiradora e importante companhia global de alimentos. Para isso, revisa seu plano de longo prazo e os processos de planejamento estratégico anual.

São três metas principais para a companhia nos próximos anos:

Possuir um portfólio de marcas globais. A BRF (BRFS3) busca expandir o portfólio de marcas em todo o mundo. A Sadia, por exemplo, está presente em vários mercados mundialmente. No Brasil e nos países do Oriente Médio, a marca apresenta níveis de penetração e preferência impressionantes. A Qualy é a marca mais importante de margarinas.

Focar os esforços nas categorias globais principais. O fortalecimento do portfólio e sua qualidade deve constituir um esforço constante, por isso, a empresa seleciona as categorias mais importantes, com base em estratégia e valor. O foco global é no portfólio de cortes de suínos e aves de valor agregado, frios, empanados e refeições cozidas, pratos prontos, pratos práticos e food service.

Capturar oportunidades globais. Internacionalmente, a empresa deu passos importantes para solidificar a BRF como companhia global. No Oriente Médio, continua a aprimorar a marca halal. Na Ásia, investe no portfólio de marcas e aquisições na Tailândia e Malásia. Na Europa Oriental, foca na presença no varejo e canal de food service tornou-se ainda mais relevante no Reino Unido. Na Argentina, expandiu a posição no mercado de frios por meio da aquisição de duas outras companhias. Na Turquia, comprou a maior produtora de aves local, com operações totalmente integradas e o maior reconhecimento de marca do setor.

Vantagens competitivas

  • Liderança no mercado brasileiro de alimentos, com marcas fortes e presença global.
  • Ampla rede de distribuição no Brasil e nos mercados internacionais.
  • Produtos de baixo custo em um crescente mercado global.
  • Localização geográfica estratégica e diversificada.
  • Ênfase na qualidade, segurança e portfólio diversificado de produto.
  • Equipe de gestores experientes.

Desempenho do último balanço

No balanço do segundo trimestre de 2020 a BRF (BRFS3) reportou prejuízo líquido de R$ 199 milhões. Assim, a empresa reverteu o lucro de R$ 307 milhões registrados no mesmo período de 2020.

O resultado negativo se deu apesar de a receita líquida da BRF ter avançado 27,8% na mesma base, chegando a R$ 11,6 bilhões.

A principal âncora do balanço do frigorífico foi o resultado financeiro líquido, que subtraiu R$ 759 milhões do faturamento, ante déficit de R$ 190 milhões no 2TRI20, refletindo os maiores juros sobre empréstimos, financiamentos, contingências, arrendamentos e passivos atuariais, variações monetárias e opções de compra da Banvit – comprada pela BRF no início de 2017.

No desempenho operacional, a BRF viu a receita no Brasil avançar 24,8% na base anual, chegando a R$ 5,8 bilhões, com a variação de preços da carne e também com um leve avanço, de 2,7%, do volume vendido, que chegou a 570 mil toneladas, ante 255 mil no segundo trimestre de 2020.

Valorização das ações da BRF (BRFS3)

Em 2021 as ações da BRF (BRFS3) tiveram uma alta de 9,08%, considerando até o pregão de 09 de setembro.

No início do ano as ações estavam cotadas a R$ 21,48 e, em 9 de setembro, estavam precificadas a R$ 23,43.

BRF

Analisando os últimos seis meses, a empresa registrou queda de 3,02% em suas ações. Isso por que em 10 de março as ações estavam cotadas a R$ 24,16 (ante os R$ 23,43 de 9 de setembro).

No último 1 ano, considerando-se como base 10 de setembro de 2020, as ações da BRF (BRFS3) tiveram alta de 13,63%.

Já levando em conta o histórico completo da empresa, desde seu IPO em 7 de janeiro de 2000, as ações da empresa cresceram 837%. Quando estreou na B3, as ações eram cotadas ao valor de R$ 2,50.

BRF

Maiores acionistas da BRF (BRFS3)

No total, a empresa é composta por 812.473.246de ações. A Marfrig Global Foods detém 31,67% de participação da companhia. Outros 7,01% estão com a Petros Fundação Petrobras de Seguridade Social. Há 6,20% ainda com a Previ – Caixa Previdência Funcionários Banco Do Brasil e 5,02% com a Kapitalo Investimentos Ltda.

Do total de ações em circulação no mercado, há 59.091 pessoas físicas, 1.871 pessoas jurídicas e 34 investidores institucionais.