Brexit: Não vai ter golpe, vai ter luta!

Clima no parlamento esquentou depois que a oposição consolidou maioria na última terça-feira (03)

Filipe Teixeira
Filipe Teixeira é redator do Portal EuQueroInvestir. Gremista, filho dos anos 80, apaixonado por filmes, música, política e economia.É também Coordenador da área de Marketing do EuQueroInvestir.com e do EuQueroInvestir A.A.I assessores de investimentos.Me envie um e-mail: filipe.teixeira@euqueroinvestir.com Ou então uma mensagem por WhatsApp: (51) 98128-5585 Instagram: filipe_st

Crédito: (Daniel Leal-Olivas / AFP /

O conhecido bordão, criado quando do início do processo de impeachment da matusquela Dilma Rousseff, finalmente parece ter encontrado sua razão de existir:

Um ato simbólico, ocorrido ontem(03) no parlamento britânico deu o que falar: o deputado Phillip Lee abandonou a ala conservadora (do atual primeiro-ministro Boris Johnson) e juntou-se aos liberais democratas. O ato ocorreu exatamente no momento em que o premier britânico discursava a respeito de um Brexit “no deal”.

O simbolismo do ato de Lee se dá justamente pelo fato de que sua mudança, deu maioria à oposição, que agora possui, em tese, 320 votos contra 319 do bloco que apoia Johnson.

Destes 320 deputados, 247 pertencem aos trabalhistas, 35 são do Partido Nacional Escocês (a Escócia não quer a saída da UE), 16 dos Liberais Democratas e 22 pertencem a outros partidos.

Do outro lado, os 319 votos se dividem entre 309 do Partido Conservador e 10 dos unionistas da Irlanda do Norte.

A mensagem dada, agora pela maioria, é de que o parlamento não aceita uma saída forçada (sem acordo), como sempre defendeu o intransigente Boris Johnson (que decidiu unilateralmente, suspender o parlamento). Na noite de ontem, o parlamento aprovou uma moção de urgência para votar um projeto de lei que pretende impedir a saída do Reino Unido sem um acordo de transição.

Fogo amigo

Para que se tenha uma dimensão do tamanho da derrota de Boris Johnson, 21 deputados dos conservadores, votaram favoráveis ao projeto. Entre eles, o neto de Winston Churchill, Nicholas Soames. Segundo um porta-voz do governo, todos que votaram contra o posicionamento do premier, serão expulsos do partido.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Boris Johnson, o Mr. No Deal, ameaça convocar uma nova eleição para o parlamento, mas esta, precisa da aprovação de dois terços dos deputados.

Em tempos onde o diálogo é cada vez mais escasso e líderes tentam impor seus ideais “goela abaixo”, os britânicos enviam ao mundo uma importante mensagem:

Não vai ter golpe, vai ter luta. Ao menos no parlamento britânico.

Trade War e seus efeitos

Nosso folhetim diário, a guerra comercial entre americanos e chineses, começa a mostrar seus efeitos nos indicadores econômicos, indo na direção da qual o mundo inteiro (exceto Donald Trump) já se deu conta: A economia global está desacelerando.

PMI/Markit, que mede a atividade industrial, foi ao seu menor nível (50,3) em uma década, aproximando-se do “número mágico que separa contração de expansão da atividade (50). A leitura do ISM (mesmo indicador, porém outra instituição), rompeu esta barreira.

E para não dizer que não falei de flores, a preocupação com os sinais fracos das principais economias do mundo, costumam respingar com força nos emergentes. Ontem não foi diferente.

Haja coração

Somado ao dado nada animador da produção industrial de julho, medido pelo IBGE, a pressão sobre o dólar já leva a previsão da moeda americana  a patamares acima dos R$3,90 para o fim do ano. Em julho, as mesmas expectativas, estavam em torno de R$3,68.

Já o Ibov, acompanhou de perto o mau humor das bolsas de NY, perdendo novamente os 100.000 pontos, fechando em queda de 0,94% a 99.680 pontos.

As atenções de hoje, ficam mesmo voltadas ao “Livro Bege”, principal relatório sobre a situação econômica dos EUA.

Façam suas apostas, mas antes, tirem as crianças da sala.