“Brexit não será desastroso para economia”, diz novo membro do BoE

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Jonathan Hall, que nesta segunda-feira tornou-se o mais novo membro do BoE (Banco Central da Inglaterra), comentou o que espera da economia com o Brexit.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Durante sua audiência de confirmação no Comitê do Tesouro do Parlamento, o novo integrante do Comitê de Política Financeira do BoE previu que os mercados ficarão “menos eficientes”, mas não “desastrosos”.

“Isso causará fragmentação, isso causará ineficiência, haverá problemas de regulamentação, mas não vai ser desastroso para a economia”.

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Pressões inflacionárias

De acordo com informações da Reuters, o economista-chefe do Banco Central da Inglaterra, Andy Haldane, mostrou preocupações com as “pressões inflacionárias” que o Reino Unido terá que encarar após a pandemia de coronavírus.

Na visão de Haldane, a falta de trabalhadores qualificados para os postos que seguem demandados e as “fraturas nas cadeias de suprimentos” são fatores que pesam para o cenário negativo.

“Houve algumas fraturas nas cadeias de suprimentos domésticas e globais, aumentando os custos de alguns bens e serviços”, ponderou.

“E é possível que uma taxa de desemprego de equilíbrio a longo prazo mais alta possa causar o ressurgimento antecipado das pressões salariais”, complementou Haldane, em texto enviado ao Comitê do Tesouro do Parlamento britânico.

Planilha de ações: baixe e faça sua análise para investir