Braskem deve ser vendida em até três anos, diz jornal

Carlos Eduardo Bertin
null

Crédito: Arquivo/Braskem

O Valor Econômico publicou na manhã desta terça-feira (3) que a Braskem deve ser vendida em até 3 anos.

Segundo a publicação, o grupo Odebrecht receberá R$ 1 bilhão até que a venda ocorra. Esse valor será de dividendos da petroquímica e será pago em quatro parcelas anuais de R$ 250 milhões.

Ainda conforme o Valor, essas definições constarão no acordo com o grupo está fechando com os bancos credores.

Atualmente, a Braskem é o maior braço do grupo Odebrecht.

Escândalo

A Braskem apareceu no noticiário recentemente porque um de seus ex-executivos se envolveu em um escândalo em denúncia de caixa 2. José Carlos Grubisish, ex-presidente da Braskem, preso na última semana em Nova York, nos Estados Unidos, foi delatado para o Ministério Público do Brasil em 2016, mas não recebeu denúncia.

Detido nos Estados Unidos por denúncia sobre criação de caixa dois na empresa, Grubisish consta do acordo de leniência da Braskem, firmado em dezembro de 2016 com o Ministério Público Federal.

Segundo advogados consultados pela reportagem do jornal Folha de S. Paulo, se o ex-presidente da Braskem tivesse sido denunciado no Brasil, poderiam haver questionamentos sobre a ação penal sobre Marcelo Odebrecht, que condenou o ex-presidente do grupo e do conselho de administração da Braskem a 19 anos de prisão.

Odebrecht foi acusado pela Lava Jato de negociar propinas da Braskem com a Petrobrás em troca de contratos, mas negou tal fato. O empresário acabou admitindo, no entanto, ter liberado pagamentos para o PT durante sua gestão na Braskem, mas sem qualquer envolvimento com a Petrobrás.

Por dentro do esquema

Segundo a reportagem da Folha, a informação de que a Braskem tinha seu próprio departamento para cuidar das propinas aparece nos anexos do acordo de leniência e foi criado após um encontro entre Pedro Novis, presidente do conselho de administração da petroquímica, e Grubisish, à época presidente da Braskem.

“O objetivo seria atender a demandas político-partidárias para o custeio de campanhas eleitorais de candidatos com aderência às agendas institucionais de interesse da Braskem e do setor petroquímico”, diz o documento obtido pelo jornal.

Outros documentos existentes na Justiça dos EUA e do Brasil apontam que mais de meio bilhão de reais – R$ 513 milhões, para ser exato – em propinas movimentadas pela Braskem foram depositados em contas bancárias da petroquímica no Brasil, em Nova York e na Flórida.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

As informações foram divulgadas após a Folha de S.Paulo e o site The Intercept Brasil terem conseguido acesso às mensagens que expuseram a proximidade entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, e determinados procuradores da Lava Jato, levantando dúvidas sobre a imparcialidade dos investigadores na condução dos casos.

Se considera um investidor conservador? Então você está em risco de extinção!

O cenário econômico virou do avesso e o país já não é mais o mesmo.

As taxas de juros caíram à níveis jamais vistos no Brasil desde o final do governo Militar (imagem abaixo) e levaram os rendimentos de Renda Fixa para próximo de Zero (ou negativos no caso da poupança).

Italian Trulli

A nova equipe econômica está incentivando novos investimentos no país, e com isso já não é mais possível ganhar dinheiro confortavelmente na poupança e em CDBs comuns. Por isso, estamos declarando a Extinção do Investidor Conservador.

Se você faz parte dessa espécie de investidor que está em risco de extinção, confirme seus dados no formulário abaixo e fale com nossa equipe. Vamos te ajudar, sem dor e sem custo.