Brasileiros sentem os impactos econômicos do coronavírus

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O instituto FSB Pesquisa realizou uma pesquisa para o BTG Pactual sobre os efeitos do coronavírus na economia brasileira.

Para isso, foram entrevistados, por telefone, 2.132 eleitores com idade a partir de 16 anos, nas 27 Unidades da Federação (UFs) nos dias 26 e 27 de março deste ano. A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

Segundo os resultados da pesquisa, devido a crise econômica impulsionada pelo coronavírus, 11% dos entrevistados perderam o emprego, 69% se sentiram obrigados a reduzir custos na família e 56% disseram que irão atrasar o pagamento de obrigações.

As demissões entre as mulheres entrevistas ficou em 15%, enquanto entre os homens atingiu 8%. De acordo com o levantamento, 43% afirmaram ter medo grande ou muito grande de perder emprego, sendo 22% e 21%, respectivamente.

A apuração procurou analisar aspectos que tem impacto direto na vida dos brasileiros, como saúde financeira familiar, impacto na economia, emprego e renda.

Confira outros dados levantados:

  • 84% das pessoas, considera que o impacto do coronavírus na economia será grande (28%) ou muito grande (56%);
  • Mais da metade disseram ser a favor do modelo de isolamento atual, enquanto 42% preferem o isolamento vertical;
  • 83% informaram que estão mantendo isolamento, ou seja, está saindo de sua casa apenas em situações
    inevitáveis, como ir comprar comida ou remédio, sendo 89% mulheres e 75% homens;
  • 64% acreditam que o coronavírus pode ter consequências sanitárias graves;
  • 46% tiveram ou acreditam que terão cortes em sua renda mensal, a redução salarial já concretizada foi em média 44%. Já entre os que ainda não tiveram cortes, a expectativa é de diminuição de aproximadamente 35%.