Brasil tem 23.240 casos confirmados e 1.328 mortes pelo Covid-19

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Reprodução / TV Brasil

O Brasil tem 23.340 casos confirmados e 1.328 mortes por Covid-19. É um aumento de 6% de pessoas testadas positivas e 9% de novos óbitos, informou o Ministério da Saúde nesta segunda-feira (13).

A taxa de mortalidade no Brasil segue crescendo. Saiu de 5,52% ontem para 5,67% hoje. No mundo todo, a taxa é de 6,21%.

Pelos dados das secretarias estaduais da saúde, os números são um pouco maiores: 23.464 casos confirmados e 1.331 mortos em decorrência do novo coronavírus.

Do total de casos oficiais divulgados pelo governo federal, 4.926 estão em estado grave, necessitando de internação. Atualmente, dos 1.328 óbitos confirmados, 74% ocorreram em pessoas com mais de 60 anos e 75% do total das vítimas apresentavam pelo menos um fator de risco.

A coletiva de imprensa dessa segunda não contou com o ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS). Embora ele estivesse agendado para participar, não apareceu à apresentação dos dados. A coletiva ficou mais uma vez sob a responsabilidade da sua equipe técnica.

Amazonas recebe atenção especial

O secretário-executivo da Saúde, João Gabbardo (foto acima), disse que Manaus “está naquele ponto em que nossa curva de atendimento está muito próxima da capacidade”.

Por isso, “estão indo pra lá profissionais da Força Nacional do SUS (Sistema Único de Saúde), entre médicos e enfermeiros. Estamos fazendo também o chamamento de voluntários. Manaus será o primeiro local a receber os voluntários, a partir do dia 16″.

O Amazonas tem 1.275 casos e 71 mortes confirmadas.

Está sendo construído também um hospital de campanha em Manaus, que será de referência; e um hospital da Unimed vai ser reformado pelo governo federal para servir para receber doentes de Covid-19.

São Paulo freia o crescimento

Apesar dos números alarmantes, o estado de São Paulo vem conseguindo frear o percentual de aumento de casos e óbitos. Ou seja, os casos e mortes sobem numa velocidade menor.

O percentual de pessoas em isolamento social também vem aumentando nos últimos dias, chegando a 59%, segundo o governo do estado. Mas o próprio ministério da Saúde, o ideal seria de 70%.

Apesar dos esforços, a população saiu de casa nesse domingo de Páscoa (12), ficando no mesmo índice de isolamento do domingo anterior (5) e ainda muito abaixo da meta.

O governador João Doria disse que o esforço feito e a orientação do governo do estado e das prefeituras deu certo: “subimos de 47% para 59% o isolamento social. Uma conquista da população, uma conquista das pessoas de bem, uma conquista da medicina, da ciência”.

São Paulo tem agora 8.895 casos confirmados e 608 óbitos. É o estado mais atingido pela pandemia no Brasil. Tem mais casos e mortes do que qualquer país da América Latina, incluindo o México (4.661 casos e 296 mortes).

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Recife tenta reverter relaxamento

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB, foto acima), anunciou nesta segunda-feira (13) que supermercados da capital pernambucana devem restringir pela metade a circulação de clientes. Os estabelecimentos só podem permitir a entrada de uma pessoa por veículo. A medida vale a partir do dia seguinte.

O serviço em supermercados fica restrito à venda de alimentos, produtos de limpeza e higiene.

O prefeito informou que o isolamento dos recifenses foi relaxado. Segundo dados do município, 600 mil recifenses chegaram a ficar em casa, mas, nas últimas semanas, 120 mil pessoas voltaram a circular. O cálculo é feito por meio do monitoramento dos aparelhos celulares.

A prefeitura comunicou que a fiscalização será reforçada. Os estabelecimento que descumprirem as medidas serão multados e podem perder o alvará de funcionamento.

Recife é responsável por mais de metade dos casos e mortes informadas no estado. Pernambuco tem 1.154 casos e 102 mortes.

Rio de Janeiro prorroga isolamento

O Rio de Janeiro tem 3.231 casos e 188 mortes.

O estado preocupa, pois 71% dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) estão ocupados por pacientes com Covid-19. A saturação impede que pessoas com outras enfermidades, que também necessitam de tratamento intensivo, recebem a atenção devida.

Na enfermaria, a taxa de ocupação por doentes com Covid-19 é de 48,5%.

É um número que aumenta preocupantemente: segundo o UOL, na semana passada, as porcentagens eram de 63%, no caso da UTI, e 41%, na enfermaria. Há disponíveis 2.541 leitos de enfermaria e 214 de UTI.

O governador Wilson Witzel (PSC, foto acima) disse que o estado vai construir 8 hospitais de campanha para atender a demanda cada vez maior. Segundo a secretaria estadual de Saúde, 548 leitos já foram abertos.

Estão previstos 3.414 leitos, sendo 2.000 nos hospitais de campanha, com previsão de entrega só no final de abril.

Esse é o tempo que Witzel espera ganhar ao anunciar nessa segunda (13) a prorrogação até o dia 30 abril as medidas que restringem a circulação de pessoas em todo o estado.

A Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen) informa que 262 pessoas tiveram mortes confirmadas ou suspeitas de Covid-19 no estado, um número maior do que o anunciado oficialmente. Dados levantados em cartórios mostram que o número de mortes está subnotificado.

Outros estados

O Ceará tem 1.800 casos e 91 mortes. Fortaleza é uma das capitais que mais preocupam o ministério da Saúde.

Minas Gerais, 815 casos e 23 mortos. Na sequência, Santa Catarina, com cidades do interior abrindo o comércio, 777 e 24. Paraná tem 756 e 31; Bahia, 723 e 22; Rio Grande do Sul, 664 e 16; Distrito Federal, 638 e 15; Maranhão, 445 e 27; Espírito Santo, 430 e 14; Rio Grande do Norte, 339 e 17; Pará, 270 e 15; Amapá, 242 e 5; Goiás, 233 e 15; Mato Grosso, 134 e 4; Mato Grosso do Sul, 113 e 4; Paraíba, 111 e 13; Acre; 90 e 3; Roraima, 83 e 3; Piauí, 50 e 8; Alagoas, 50 e 3; Sergipe, 44 e 4; e Rondônia, 42 e 2.

Tocantins é o único estado do Brasil sem mortes confirmadas, com 26 casos.

Equipamentos no Brasil

Gabbardo começou a coletiva informando que o Brasil agregou mais 4,5 mil ventiladores, em parceria com a Intermed. Outros 11 mil ventiladores foram adquiridos, com a produção nacional. Já são 340 respiradores que já estão instalados e prontos para operar.

Além disso, “o Senai vai consertar e fazer manutenção em quase 4 mil ventiladores e respiradores”, disse.

“A Vale se comprometeu a doar quase 16 milhões de equipamentos de proteção individual (EPI) e 5 milhões testes rápidos. Já estão em solo brasileiro, 8,8 milhões de EPIs e 2,5 milhões de testes rápidos”, explico o secretário Gabbardo.

A Ambev doou 3 milhões de máscaras de acrílico.

Além disso, foram distribuídos 432 mil testes. Até aqui, o Brasil testou muito pouco: 93 mil amostras foram analisadas, mas apenas 63 mil tiveram resultados de fato.

LEIA MAIS
“Crise atual atinge economia da vida real”, diz Rodrigo Maia

Plano de ajuda do Governo soma 7,8% do PIB, mas ainda gera dúvidas