Brasil tem 138 programas de conexão entre corporações e startups

Juliana Gusmão
null

Crédito: imagem/reproduçao/aintec

Segundo o mapeamento realizado pela Ace, apenas 40% das grandes empresas que se relacionam com startups fazem investimentos ou aquisição de novatas. Contudo, programas que conectam grandes empresas e startups, com foco em aceleração e mentoria, estão se tornando cada vez mais habitual no país. Portanto,  nos últimos seis meses atingimos a marca de 138 projetos fomentados ao longo do último ano.

Mas, boa parte delas não ultrapassa o nível superficial de interação entre corporações e novatas. Sendo criadas com o único intuito de fazer marketing de que aquele grupo está de fato seguindo a onda da inovação.

Segundo o mapeamento, apenas 40% das grandes empresas que se relacionam com startups fazem investimentos ou aquisição de novatas.

O que são startups

Muitas pessoas dizem que qualquer pequena empresa em seu período inicial pode ser considerada uma startup.  Contudo, 0utros defendem que uma startup é uma empresa inovadora com custos de manutenção muito baixos. Mas que consegue crescer rapidamente e gerar lucros cada vez maiores.

No entanto, há uma definição mais atual, que parece satisfazer a diversos especialistas e investidores: uma startup é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza.

Um cenário de incerteza significa que não há como afirmar se aquela ideia e projeto de empresa irão realmente dar certo.

O modelo de negócios é como a startup gera valor . Ou seja, como transforma seu trabalho em dinheiro. Por exemplo, um dos modelos de negócios do Google é cobrar por cada click nos anúncios mostrados nos resultados de busca. Todavia, esse modelo também é usado pelo Buscapé.com. Um outro exemplo seria o modelo de negócio de franquias: você paga royalties por uma marca, mas tem acesso a uma receita de sucesso com suporte do franqueador, e por isso aumenta suas chances de gerar lucro.