BR Partners (BRBI11) vê lucro crescer 46,9% no 2TRI21

José Azevedo
Jornalista especializado em economia.
1

Crédito: Reprodução/BR Partners

A BR Partners (BRBI11), companhia recém-chegada na B3, viu seu lucro líquido alcançar R$ 35 milhões no segundo trimestre de 2021, crescendo 46,9% na comparação com o mesmo período do ano imediatamente anterior. No semestre, o lucro líquido foi de R$ 65,9 milhões, ante R$ 45,4 milhões nos primeiros seis meses de 2020.

A diferença acompanha, em parte, a receita líquida da instituição financeira: esse índice avançou 14,3% na base anual, chegando a R$ 76,2 milhões.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

“O crescimento do lucro líquido anual é explicado pelo crescimento da receita líquida, principalmente devido ao resultado mais expressivo de Mercado de Capitais e de Sales & Trading“, afirma a BR Partners em documento publicado na noite desta segunda-feira (9).

Confira o balanço na íntegra.

BR Partners (BRBI11): Principais números do balanço

Lucro líquido 

  • 2TRI21: R$ 35 milhões
  • 2TRI20: R$ 23,8 milhões

Receita líquida

  • 2TRI21: R$ 76,2 milhões
  • 2TRI20: R$ 66,7 milhões

Ebitda

  • 2TRI21: R$ 50,2 milhões
  • 2TRI20: R$: 43,2 milhões

Mercado de capitais e S&T avançam

O braço de mercados de capitais teve uma receita de R$ 18,4 milhões, ante R$ 10,5 milhões no segundo trimestre de 2020. O de S&T, R$ 10,4 milhões, frente R$ 5,7 milhões no período de abril a junho de 2020.

A frente de investiment banking da BR Partners, por outro lado, regrediu, com sua receita recuando 12,1% na comparação com o segundo trimestre de 2020, ficando em R$ 43,3 mihões. Apesar disso, a instituição aponta que houve avanço ao se levar em consideração a base semestral e que o setor deve avançar ainda mais, por ela estar, atualmente, participando de várias transações importantes.

Resultado da BR Partners é impulsionado por crédito tributário

Também no contrapeso no trimestre, os maiores gastos com pessoal freou o avanço do lucro líquido, com a companhia gastando mais com o provisionamento de parte do bônus dos funcionários deste ano – que será maior por conta da melhor performance. As despesas com administração e pessoal ficaram em R$ 26 milhões, ante R$ 23,3 milhões no terceiro trimestre de 2020.

O Ebitda da BR Partners ficou em R$ 50,2 milhões, alta de 16,3% na comparação anual, a despeito dos maiores gastos.

Além disso, a companhia viu ainda seu lucro líquido ser beneficiado por um gasto menor com imposto de renda, por conta de um crédito tributário extraordinário. O gasto com tributos foi de R$ 15,2 milhões, queda de 16,3% na base anual.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo