BR Malls lidera as altas do dia e Ibov retoma os 103.000 pontos

O IBOV abriu estável nesta segunda feira, em 102.815 pontos com a VALE abrindo em alta de 0,54% mesmo com a queda do minério de ferro.

Filipe Teixeira
Filipe Teixeira é redator do Portal EuQueroInvestir. Gremista, filho dos anos 80, apaixonado por filmes, música, política e economia.É também Coordenador da área de Marketing do EuQueroInvestir.com e do EuQueroInvestir A.A.I assessores de investimentos.Me envie um e-mail: filipe.teixeira@euqueroinvestir.com Ou então uma mensagem por WhatsApp: (51) 98128-5585 Instagram: filipe_st
ibovespa

As ações do Itaú, recuavam 0,03% na espera da divulgação do seu  balanço referente ao segundo trimestre (pós fechamento) e as siderúrgicas registraram altas moderadas na abertura: CSN (cujo balanço sai amanhã) +0,12%, Metalúrgica Gerdau + 0,15%, Usiminas +0,68%

Os bancos, operavam com sinal positivo: BB +0,34%, Bradesco PN +0,50%, Itaú +0,41%, Santander +0,55%

A BR Malls liderou as altas no início das negociações após empresa negociar a venda de participação integral em sete shoppings, priorizando os de maior porte e potencial de consumo.

Na mesma levada, Iguatemi avançou 2,41% cotada a R$47,94

Na primeira meia hora, o IBOV chegou a testar os 103 mil pontos (103.150) registrando uma alta de 0,32%, mas não teve forças, voltando aos 102.637 pontos, caindo -0,18% após abertura cautelosa das bolsas de NY.

Braskem liderando perdas

Ainda na abertura, a Braskem registrou a maior queda do pregão (-2,12%) após anuncio de mais uma ação judicial, proposta pelo Ministério Público do Trabalho  de Alagoas que pede o bloqueio de R$6,3 bi (80% do caixa atual).

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

O pedido do MPT-AL tem por objetivo garantir  indenizações por danos materiais aos trabalhadores que sofreram com fenômeno geológico que resultou no afundamento de solo em diversos bairros de Maceió.

braskem

A ação junta-se à outra soma bilionária, do Ministério Público Estadual e da Defensoria Pública de Alagoas, que já bloqueou R$ 3,7 bilhões. A decisão, ainda em caráter de liminar, foi proferida em junho pelo Tribunal de Justiça de Alagoas. A companhia tenta reverter a decisão.

A Braskem liderou as perdas de hoje (-2,04%).

Bancos seguram as pontas e  BR Malls segue liderando altas

Já próximo ao meio dia, o setor bancário seguiam apresentando sinais positivos em bloco, surfando a notícia de restruturação com incentivo a demissões anunciado pelo Banco do Brasil ainda na sexta-feira (27): ++Itaú +0,30%, Santander +0,26%, Bradesco PN +0,14%, BB +0,86%

BR Malls seguia liderando as altas da sessão, com alta de 4% cotado a R$14,82 e Iguatemi, subindo 2,46% em R$47,95%

O destaque negativo da manhã, ficou por conta da BRF, após recomendação de venda do Citi, queda de -3,59% cotado a R$32,78

O Ibov volta a positivar, subindo 0,16% a 102.988 pontos.

Fôlego e fechamento na máxima

Em dia de forte rali no índice onde mantendo o comportamento verificado nos últimos dias, o Ibovespa ganhou volume em sua reta final, fechando na máxima, com alta de 0,65%, aos 103.482,63 pontos. Na mínima, o índice tocou os 102.460 pontos.

O volume financeiro foi consideravelmente abaixo das melhores médias (R$ 15 bilhões), fechando em R$ 12,3 bilhões.

Quase no apagar das luzes, a Vale zerou as perdas verificadas no intraday, fechando estável (+0,06%). A Petrobras  também ganhou força no fim de tarde: Petrobras PN subiu 0,92% (R$ 26,38) e Petrobras ON, +1,23% (R$ 28,89).

Até mesmo o banco Itaú, que passou a maior parte do pregão em baixa, aguardando o a divulgação dos resultados do segundo trimestre, recuperou-se para fechar em alta de 0,41%. Já o Bradesco PN não teve a mesma sorte e manteve-se em queda até o fechamento (-0,22%) enquanto o Banco do Brasil subiu (+0,90%) muito por conta do anúncio de seu plano de demissão voluntária, que pretende desligar 2,3 mil funcionários.

Destaques do dia

Após divulgar balanço esta manhã, apontando lucro de R$ 336,9 milhões no segundo trimestre, 21,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, a Hypera liderou o ranking de altas do Ibovespa subindo 5,06%.

Na sequência, BR Malls, que fechou na máxima do dia (+4,70%), após a informação de que negocia a venda de alguns de seus shoppings para um fundo imobiliário administrado pelo BTG Pactual.

Quem voltou a brilhar, foram as varejistas, Magazine Luiza (+4,68%) e Via Varejo (+4,63%) e entre as blue chips, o destaque ficou por conta da Ambev (+3,54%).

Fechamento Europeu

As bolsas europeias fecharam sem direção única, com destaque para as ações em Londres que dispararam em resposta a uma queda acentuada da libra.

DAX (Alemanha) -0,02%
CAC 40 (França) -0,16%
FTSE 100 (Reino Unido) +1,82%
FTSE MIB (Itália) -0,59%

Petróleo
petroleo

Os contratos futuros do petróleo subiram nesta segunda-feira (29), impulsionados em muito pela perspectiva de retomada nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China que devem ocorrer a partir de amanhã.

WTI+ 1,20% (US$ 56,87)
Brent + 0,39% (US$ 63,71)

Fechamento das bolsas de NY

Após renovar períodos de rompimento em suas máximas históricas, as bolsas em NY abriram a semana na expectativa da decisão do FED (31) que pode trazer um novo corte (0,25 pontos) nos juros americanos após mais de uma década.

Dow Jones +0,11% (27.221,41)
S&P 500
-0,16% (3.020,98)
Nasdaq -0,44% (8.293,33)