BR Malls (BRML3) tem 24 shoppings reabertos; Marisa (AMAR3) informa posição acionária

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.
1

O BR Malls (BRML3) reabriu mais uma de suas unidades que estavam fechadas por conta da pandemia, conforme fato relevante.

Em 20 de julho, a companhia retomou a operação do shopping Center Shopping Uberlândia (MG).

Desta forma, a empresa tem, nesta data, 24 shoppings abertos – os quais ainda possuem restrições no horário de funcionamento.

Estes, representam 80,2% da ABL total e 77,5% da ABL própria da companhia, e que representaram 84,6% do NOI core em 2019.

Já estão em funcionamento os shoppings Campo Grande (MS); Catuaí Shopping Maringá (PR); Amazonas Shopping (AM); Shopping Vila Velha (ES); Independência Shopping (MG); NorteShopping (RJ); Shopping Tijuca (RJ); Shopping Jardim Sul (SP); Mooca Plaza Shopping (SP); Shopping Metrô Santa Cruz (SP); Shopping Villa-Lobos (SP); Shopping Tamboré (SP); São Bernardo Plaza Shopping (SP); Shopping ABC (SP); São Luís Shopping (MA); Rio Anil Shopping (MA); Shopping Recife (PE); Plaza Shopping Niterói (RJ); Goiânia Shopping (GO); Araguaia Shopping (GO); Shopping Estação (PR); Shopping Curitiba (PR); Shopping Catuaí Londrina (PR).

Veja o desempenho da BRML3 na Bolsa:

Fonte: tradingview.

Lojas Marisa (AMAR3): Safra eleva participação para 5,57%

O Banco Safra elevou a participação na Lojas Marisa (AMAR3) para 5,57%, conforme fato relevante.

Tratam-se de papeis de classe ON(AMAR3), de emissão da Marisa Lojas S.A.

“O fundo não tem meta pré-estabelecida para sua participação na companhia”, informou.

Veja o desempenho da AMAR3 na Bolsa:

Fonte: tradingview.

Sanepar (SAPR4) aprova medidas após Operação Ductos

Companhia de Saneamento do Paraná, a Sanepar (SAPR4) aprovou medidas após a operação Ductos.

Em nota, a empresa disse que “os empregados citados nos autos da referida Operação foram afastados de suas funções e tiveram os acessos bloqueados.

Já a Diretoria Jurídica obteve cópia dos autos e o Comitê de Auditoria Estatutário foi acionado para acompanhar os fatos.

O conselho sugeriu ainda que seja avaliada a adoção de medidas legais visando preservar os interesses da companhia como, por exemplo, o depósito em juízo dos valores do PAI dos empregados investigados.

Por unanimidade, o conselho deliberou pela inclusão do processo da Operação Ductos no escopo da Investigação Forense Independente.

Também foi apreciado o pedido de afastamento formulado pelo Diretor de Operações  Paulo Alberto Dedavid, que  foi  acatado  pela  unanimidade  dos conselheiros, ficando designada a Diretora de Investimentos Leura Lucia Conte de Oliveira  para  responder  interinamente  pela função.

Sanepar (SAPR4) aprova medidas após Operação Ductos

Sanepar (SAPR4) aprova medidas após Operação Ductos

A operação

A operação cumpriu 16 mandados de prisão e 50 mandados de busca e apreensão. As ordens judiciais foram emitidas pela 1ª Vara Criminal de Ponta Grossa e incluem ainda o bloqueio de imóveis e veículos de 22 pessoas ou empresas.

Os principais alvo foram empresários e servidores da Sanepar. As buscas atingiram 37 residências e 13 empresas, incluindo cinco estabelecimentos privados (em Ponta Grossa, Cornélio Procópio, Telêmaco Borba e Curitiba) e oito da Sanepar (três em Ponta Grossa, dois em Telêmaco Borba e um em Curitiba, Santo Antônio da Platina e Cornélio Procópio). A sede da Martins Engenharia foi uma delas.

Veja o desempenho da SAPR4 na Bolsa:

Fonte: tradingview.