BR Distribuidora (BRDT3) vai recorrer de condenação por crime ambiental em SP

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Divulgação / BR Distribuidora

A BR Distribuidora (BRDT3) informou que vai recorrer de condenação por crime ambiental relatado pelo portal O Globo, em 27 de junho, sob título “Justiça de São Paulo condena BR por diesel poluente”. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) solicitou resposta da empresa.

“A matéria diz respeito à sentença que tramitou na 14ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo, no bojo de Ação Civil Pública ajuizada pelo Município de São Paulo, buscando a responsabilização da BR por suposto dano ambiental decorrente da venda de diesel S500 em lugar do Diesel S50, com menor concentração de enxofre”, diz a empresa.

“A BR esclarece que o fornecimento decorreu de problema pontual de suprimento da refinaria que atendia o mercado da região metropolitana de São Paulo”, segue.

Por essa razão, “para evitar desabastecimento da frota de transporte público rodoviário da região, foi fornecido Diesel S500 durante algumas horas do dia”.

Autorização da ANP

A BR Distribuidora esclarece que o combustível distribuído representava impacto de 0,0057% na quantidade de dióxido de enxofre emitidos na região metropolitana no ano de 2011.

Essa quantidade é incapaz, sempre segundo a BR Distribuidora, “de configurar qualquer tipo de dano ao meio ambiente, o que é reforçado pelo laudo da perita designada pelo juízo”.

“Vale mencionar que a ANP (Agência Nacional de Petróleo), ao analisar o caso, optou por autorizar a distribuição do Diesel S500 pelo prazo de 24h”, diz a empresa.

BR Distribuidora recebe confissão de dívidas com a Eletrobras (ELET6)

A BR Distribuidora recebeu nesta terça-feira (3) o recebimento de valores referentes dívidas com Eletrobras (ELET6) e suas controladas distribuidoras de energia.

O valor é de R$ 35,1 milhões correspondente à 26ª parcela.

A companhia já recebeu R$ 4,454 bilhões da Eletrobras em acertos.