BR Distribuidora (BRDT3) conclui venda de participação na Stratura Asfaltos

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Foto: ANP autoriza Petrobras a movimentar gasolina de aviação

A BR Distribuidora informou ter concluído a venda de participação na Stratura Asfaltos, conforme fato relevante divulgado nesta quarta-feira (19).

A petroleira se desfez da totalidade de sua participação na companhia cuja adquirente foi a Bitumina  do  Brasil  Participações, com sede em Londres.

O valor da transação é de aproximadamente R$ 100 milhões, dos quais R$ 4 milhões foram recebidos no fechamento da operação.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

A diferença será paga pelo comprador por meio de um mecanismo de “earn-out” atrelado ao desempenho da empresa e à recuperação de créditos tributários.

Além disso, a transação  envolve o  pagamento  de  mútuo no  valor  de  aproximadamente  R$  147 milhões em 36 parcelas mensais.

Não houve necessidade de submissão da transação ao CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

Abdalla ganha peso no conselho da Petrobras

BRDT3: Stratura Asfaltos S.A

A Stratura Asfaltos S.A. é uma sociedade anônima de capital fechado, com sede na cidade de São Paulo (SP).

Atua com fabricação e distribuição de produtos para pavimentação e conservação de  rodovias  e  afins,  na  prestação  de  serviços  de  engenharia  e  na  execução  de  serviços especializados de pavimentação.

“Esta decisão está alinhada à nossa iniciativa de gestão de portfólio que busca garantir o foco da petroleira e a maximização da criação de valor para os acionistas”, informou.

Petrobras (PETR3 PETR4)  informa sobre repasses a Petros

Em fato relevante divulgado nesta quarta-feira, a petroleira atualiza acerca da contribuição no valor de R$ 2,05 bilhões a ser  paga  à  vista  para  a Fundação  Petrobras  de  Seguridade  Social  (Petros).

Conforme a estatal, “essa renegociação foi celebrada em contrato de dívida com a Petros que prevê a realização dos pagamentos de forma semestral ao longo dos próximos 20 anos”.

Os valores serão atualizados pela meta atuarial de cada plano de benefícios, evitando que isso resulte em prejuízo à liquidez e solvência dos mesmos. O valor de R$ 2,02 bilhões, informado em março, tinha como data base dezembro de 2019, data do cálculo atuarial anual.

Este valor, atualizado para maio, soma R$ 2,05 bilhões.

O contrato financeiro firmado com a Petros impactará as demonstrações financeiras da Petrobras na proporção dos juros incorridos sobre este parcelamento.

Veja PETR3 na Bolsa: