BR (BRDT3) quita dívida de acordo; Linx (LINX3) tem mudança acionária

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação

A BR Distribuidora (BRDT3) informou que realizou nesta sexta (18) a liquidação total da dívida de R$ 161,8 milhões, referente ao parcelamento que a companhia assumiu ao Novo Plano de Equacionamento de Déficit (PED), em acordo com o fundo de pensão Petros.

“Considerando o nosso monitoramento da recuperação do ambiente macroeconômico, continuamos observando uma gradual retomada em nossos volumes e um reaquecimento nas atividades industriais, comerciais e de serviços!, diz a Br em comunicado.

“Aliado com a nossa atual estável geração de caixa e nível de endividamento, avaliamos oportuno antecipar o pagamento em vez de realizar parcelamento em 15 anos que seria corrigido anualmente pela meta atuarial”, completa a companhia.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

Conforme a cláusula estabelecida no contrato de Instrumento de Parcelamento de Dívida, celebrado com a Petros no dia 28 de julho, a qualquer momento os valores devidos poderão ser liquidados, parcial ou integralmente.

A BR notificou à Petros o interesse em antecipar o pagamento total da dívida, referente ao parcelamento que a empresa assumiu ao novo PED, relativo à redução do benefício de Pecúlio dos Participantes e Assistidos.

O Novo PED do Plano Petros (PPSP-R e PPSP-NR), aprovado pela PREVIC em 5 de maio de 2020, exige a implementação do aporte da BR. como contrapartida à redução no valor do pecúlio por morte arcado pelos participantes do Plano.

“A companhia reitera que esse é um importante passo que consolida a redução de contribuições extraordinárias para a maior parte dos participantes e assistidos, assim como o aprimoramento dos regulamentos dos planos, permitindo também a revisão das contribuições normais e a mitigação da necessidade de novos planos de equacionamento no futuro”, conclui.

Linx (LINX3): Morgan Stanley aumenta participação

A Linx (LINX3) comunicou que o Morgan Stanley atingiu participação correspondente a 7,1% do capital social da companhia.

No total, o Morgan Stanley detém 13.417.368 ações como consequência da recente aquisição de ações ordinárias da companhia em operações realizadas em bolsa de valores.

“Adicionalmente [o Morgan Stanley) informou que atingiu exposição em Instrumento Financeiro Derivativo com previsão de Liquidação Financeira–Posição Comprada correspondente a 3,43% do total de ações ordinárias de emissão da Companhia, o equivalente a 6,5 milhões de ações desta classe”, diz a Linx.

“Atingiu também exposição em Instrumento Financeiro Derivativo com previsão de Liquidação Financeira –Posição Vendida correspondente a 9,53%do total de ações ordinárias de emissão, equivalente a 18,044 milhões de ações desta classe.”

O Morgan Stanley informou, ainda, que a participação societária não objetiva alterar a composição do controle ou estrutura administrativa da companhia.

Leia Mais

Mercado Livre (MELI34): vale a pena investir neste BDR?

Papel e celulose: o que você precisa saber antes de investir no setor

 

Melhor investimento: onde investir durante e após a crise

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato