Governo prorroga alíquota zero de IOF sobre crédito

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

O presidente Jair Bolsonaro prorrogou a alíquota zero para o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nas operações de crédito, informa a Agência Brasil.

A decisão está em decreto publicado em edição extra do Diário Oficial da União de hoje (2).

Essa é a segunda vez que o governo prorroga a isenção como medida de combate à crise gerada pela pandemia de Covid-19.

Em julho, o governo estendeu a prorrogação por 90 dias.

O prazo acabaria sexta (2).

Com a nova prorrogação, a medida vale até 31 de dezembro.

Alívio no crédito

A alíquota zero de IOF foi anunciada, pela primeira vez, em abril para aliviar o crédito a pessoas físicas e empresas afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

Tradicionalmente, o IOF cobra alíquota de 3% sobre o valor total da operação de crédito, independentemente do prazo, mais 0,38% ao ano.

Dessa forma, a alíquota máxima pode chegar a 3,38%, diminuindo caso a operação tenha prazo inferior a um ano.

*Com Agência Brasil

Bolsa ganha 900 mil pessoas físicas na pandemia

B3 (B3SA3) aprova JCP de R$ 0,1256 e dividendos de R$ 0,6483 por ação

Letra Financeira: o que é e como funciona esse investimento

Onda de IPOs também chega aos fundos imobiliários