Retomada gradual de atividades será a nova diretriz da Saúde

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo

Crédito: Reprodução/Facebook

Durante a sua live semanal, realizada todas as quintas-feiras, o presidente Jair Bolsonaro defendeu 0 retorno gradual das atividades no Brasil e afirmou que esta será a nova diretriz do Ministério da Saúde. Porém, reforçou que esta decisão cabe aos governadores e prefeitos, informa a Agência Brasil.

“Não vai ser de uma hora pra outra, não vai ser um cavalo de pau, mas nós entendemos que, paulatinamente, com muita responsabilidade, o Brasil tem que começar a trabalhar. Agora, a decisão vai partir muito mais dos governadores e dos prefeitos, porque essa foi a decisão do Supremo Tribunal Federal, se não me engano, por unanimidade, no dia de ontem”, disse o presidente.

Durante a sua live semanal, o presidente Bolsonaro, que estava acompanhado do novo ministro da Saúde, Nelson Teich, reforçou a ideia de que uma quarentena  rígida pode causar danos profundos  e irreversíveis na economia.

“Nós sabemos que o efeito colateral de uma quarentena muito rígida, fazendo com que as pessoas mais humildes viessem a perder seu emprego, ou seu ganha-pão, no caso da informalidade, poderia ocasionar problemas seríssimos para o Brasil, a ponto de a economia não se recuperar mais”, analisou Bolsonaro.

Avanço do coronavírus no Brasil

O novo ministro da Saúde, Nelson Teich, disse que o foco do seu trabalho será o mapeamento do avanço da pandemia no país. “Agora a gente tem que ter um foco muito grande em colher dados sobre qual é a prevalência dessa doença, seja dos infectados, seja dos que [se] curaram e dos que morreram. Quando a gente combinar esses dados, vai ser muito mais fácil a gente enxergar o que acontece e traçar políticas e ações”, disse. Teich também disse que pretende instituir uma política de testagem em massa.