Bolsas em queda: avanço do coronavírus derruba mercados

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.

Crédito: Reprodução/Pixabay

Se ontem (12) o dia foi de altas generalizadas nas bolsas do mundo todo por conta da esperança de que o avanço do coronavírus estava sob controle, nesta quinta-feira (13), o clima é de pessimismo.

De terça para quarta, a Comissão Nacional de Saúde da China acreditou que estava diante do primeiro dia com queda no número de infectados. No entanto, nesta quinta, foram registrados novos casos na província de Hubei, área central do surto na China. A região registrou 242 mortes adicionais e 14.840 novos casos, elevando o número total de pessoas que morreram para 1.310.

O número de novos casos aumentou depois que a província mudou seu método de notificação de casos. As autoridades de Huabei disseram que estão começando a incluir casos “diagnosticados clinicamente” em seus números e que 13.332 dos novos casos se enquadram nessa classificação.

EUA

Às 6h10, S&P registrava -0,47%; Nasdaq, -0,60%; e Dow Jones, -0,47%.

Ainda hoje, Airbus, Kraft Heinz, Alibaba, Credit Suisse, Barclays, Nestlé, PepsiCo, Nvidia, Expedia e Datadog reportam ganhos do último trimestre de 2019.

Mercados também acompanham os discursos do presidente do Federal Reserve (Fed) de Dallas, Robert Kaplan, e do presidente do Fed de Nova York, John Williams, sobre as perspectivas econômicas e a política monetária.

Ásia

Na Ásia, Japão fechou em -0,14%; China com -0,71%; e Hong Kong com -0,34%.

Europa

Na Europa, Alemanha com -0,46%; Reino Unido com -0,92%; e França com -0,28%.