Bolsa volta do feriado perdendo 0,58% e os 120 mil pontos

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Arte / EQI

A bolsa de valores voltou do feriado de Tiradentes com queda de 0,58%, reforçando a baixa do último pregão. Nesta quinta-feira (22), o Ibovespa acompanhou os principais índices em Wall Street e desceu o suficiente para perder a marca dos 120 mil, ficando com 119.371,48 pontos.

A até começou positivo, embalado pelo fim da novela do Orçamento 2021, esperando que não haja surpresas na assinatura e vetos da Presidência da República hoje (é o Dia D). Mas os ventos e notícias que sopravam de Nova York não foram os mais agradáveis para os agentes do mercado financeiro.

Joe Biden, o presidente dos Estados Unidos, divulgou a intenção de aumentar impostos sobre ganhos de capital. O risco ficou inapropriado aos investidores por todo o mundo. Há ainda aumento de casos de Covid-19 pelo planeta e a Cúpula do Clima, com um Bolsonaro “domado”.

Hoje, o Ibovespa apresentou na mínima 119.203,20 pontos (-0,71%); e na máxima, 120.994,84 pontos (+0,78%).

O volume financeiro negociado foi de R$ 30,051 bilhões.

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • segunda-feira (19): -0,15% (120.933,78 pontos)
  • terça-feira (20): -0,72% (120.061,99 pontos)
  • quarta-feira (21): feriado
  • quinta-feira (22): -0,58% (119.371,48 pontos)
  • semana: -1,45%
  • abril: +2,35%
  • 2021: +0,31%

Dólar

O dólar derreteu nesta quitna. A moeda norte-americana caiu 1,73%, valendo R$ 5,5508.

  • segunda-feira (19): -0,61% a R$ 5,5505
  • terça-feira (20): +0,01% a R$ 5,5508
  • quarta-feira (21): feriado
  • quinta-feira (22): -1,73% a R$ 5,4556
  • semana : -2,33% a R$ 5,4556

Euro

  • segunda-feira (19): -0,34% a R$ 6,674
  • terça-feira (20): +0,40% a R$ 6,7008
  • quarta-feira (21): feriado
  • quinta-feira (22): -2,48% a R$ 6,5354
  • semana: -2,32% a R$ 6,5354

Criptomoedas*

  • Bitcoin: -5,21% a R$ 287.877,40
  • Ethereum: +3,18% a R$ 13.618,80
  • Binance: -9,22% a R$ 2.841,12

*(variação nas últimas 24h – corte: 17h)

Bolsa em Nova York e cenário mundial

As ações dos EUA caíram rapidamente, derrubando mínimas, após relatos de que o presidente Joe Biden deve propor impostos sobre ganhos de capital muito mais altos para os ricos.

Vai sobrar (enfim?) para os mais ricos. Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, detalhou alguns pontos do American Families Plan, e quer mexer com a alíquota sobre ganhos de capital.

O presidente norte-americano vai propor planos de elevação de tributos sobre os mais ricos e, com os recursos, financiar investimentos em creches, educação pré-escolar universal e licença remunerada aos trabalhadores.

Entre os pontos de maior destaque estão o aumento da alíquota marginal do imposto de renda, de 37% para 39,6%, e dos impostos sobre ganhos de capital, que iriam para 39,6% direcionados às pessoas que ganham mais de 1 milhão de dólares.

Os detalhes do “American Families Plan”” de Biden ainda estão sendo finalizados, mas o presidente planeja anunciar as medidas na próxima semana, antes de seu primeiro discurso ao Congresso.

“A proposta de Biden efetivamente dobra a taxa de imposto sobre ganhos de capital em pessoas com renda de U$ 1 milhão”, disse Jack Ablin, sócio fundador e CIO da Cresset Capital Management, para a CNBC. “Esse é um aumento de custo considerável para investidores de longo prazo. Espere vender este ano se os investidores perceberem que a proposta tem uma chance de se tornar lei no próximo ano”.

Enquanto isso, a CNBC lembra que os mercados estão altamente concentrados em um pequeno número de ações em crescimento. Essas ações impulsionaram a maior parte dos ganhos nos últimos anos e muitos investidores tiveram ganhos significativos a preços atuais. O medo de um imposto mais alto sobre ganhos de capital pode motivar a venda desses nomes e desencadear a correção do mercado, então alguns investidores tentarão antecipar esse movimento potencial vendendo ou fazendo hedge por meio de vendas a descoberto.

Os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos novamente surpreenderam positivamente. Ficaram em 547 mil, quando o mercado projetava 617 mil. Na semana passada, foram 586 mil pedidos, revisados dos 576 mil anunciados anteriormente.

Novamente, o nível de reivindicações é o mais baixo desde 14 de março de 2020, início da pandemia de coronavírus, quando 256 mil pedidos foram feitos.

O resultado tende a aumentar os temores com a possibilidade de alta inflacionária. Isto porque os EUA vivem um cenário de vacinação bem-sucedida, indicadores apontando retomada do mercado de trabalho e da produção, e ainda os efeitos do pacote de auxílio de US$ 1,9 trilhão de Biden.

No Velho Continente, o Banco Central Europeu manteve sua política monetária inalterada hoje, à medida que os investidores buscavam pistas sobre quando seu massivo estímulo monetário poderia começar a diminuir.

“Preservar condições de financiamento favoráveis ​​durante o período de pandemia continua sendo essencial para reduzir a incerteza e aumentar a confiança, sustentando a atividade econômica e salvaguardando a estabilidade de preços no médio prazo”, disse a presidente do BCE, Christine Lagarde, em entrevista coletiva hoje.

Os números de novos casos de Covid-19 por todo o mundo seguem acelerando, graças especialmente ao Brasil, que ainda faz poucos testes, e à Índia, que teste bastante. Mas na Europa ainda são em torno de 170 a 200 mil novos casos diários, causando temores de novos bloqueios podem ser necessários para preservar a ocupação hospitalar.

na Alemanha, a aliança conservadora, comandada pela chanceler Angela Merkel, finalmente selecionou um candidato para representar o centro-direita na eleição do país no final deste ano, após meses de incertezas e atrasos.

Até então, nem a União Democrática Cristã (CDU), de centro-direita, nem seu partido-irmão da Baviera, a União Social Cristã (CSU), haviam conseguido chegar a um acordo sobre quem deveria liderar os conservadores nas eleições de 26 de setembro. Merkel anunciou em 2018 que não se candidataria a um quinto mandato.

Em uma reunião do conselho da CDU na noite de segunda-feira, no entanto, a maioria dos membros veteranos do partido votou para nomear Armin Laschet, o líder da CDU e premier estadual da Renânia do Norte-Vestfália, como candidato a chanceler para a eleição deste ano.

Nova York

  • S&P: -0,92%
  • Nasdaq: -0,94%
  • Dow Jones: -0,94%

Europa

  • Euro Stoxx 600 (Europa): +0,97%
  • DAX (Alemanha): +0,82%
  • FTSE 100 (Reino Unido): +0,62%
  • CAC (França): +0,91%
  • IBEX 35 (Espanha): +1,61%
  • FTSE MIB (Itália): +0,98%

Ásia e Oceania

  • Shanghai (China): -0,23%
  • SZSE Component (China): +0,41%
  • China A50 (China): -0,57%
  • DJ Shanghai (China): -0,33%
  • Hang Seng HSI (Hong Kong): +0,22%
  • SET (Tailândia): -0,75%
  • Nikkei (Japão): +2,38%
  • ASX 200 (Austrália): +0,83%
  • Kospi (Coreia do Sul): +0,18%

Brasil: ambiente político e econômico

Acabou, é hoje o último capítulo dessa trama que se arrastou por meses. A Presidência da República, com a caneta empunhada por Jair Bolsonaro (sem partido), precisa sancionar, com vetos ou não, o texto aprovado pelo Congresso Nacional.

Após o acordo com o comando da Câmara e do Congresso, o ministro Paulo Guedes declarou que o Orçamento de 2021 ficará “exequível”.

Entretanto, os detalhes técnicos ainda não foram divulgados para evitar ruídos antes da assinatura final. Pouca gente espera surpresas. O acordo bom é acordo cumprido, é o que dizem.

Uma boa parte do foco hoje foi em Wall Street, na reação ao anúncio de aumento de impostos de Biden, mas também pela Cúpula do Clima.

O evento é um chamamento do próprio Biden. Os Estados Unidos foram saudados pela maioria do mundo civilizado com um “bem-vindo de volta”, após os anos obscuros, nesta questão, de Donald Trump no poder.

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, defendeu, em reunião virtual da Cúpula do Clima, que é preciso mobilizar as lideranças políticas para superar as mudanças climáticas e acabar com a guerra contra a natureza.

“A mãe natureza não está esperando. A última década foi a mais quente já registrada. Gases de efeito estufa perigosos estão em níveis nunca vistos em 3 milhões de anos. As temperaturas globais já subiram 1,2 grau Celsius, chegando a esse limiar da catástrofe”, disse, na cúpula, por videoconferência.

Ele ressaltou que o nível do mar está cada vez mais alto. Além disso, as temperaturas estão escaldantes, há ciclones tropicais devastadores e incêndios florestais épicos. “Precisamos de um planeta verde, mas o mundo está em alerta vermelho. Estamos à beira do abismo, devemos dar o próximo passo”, afirmou.

Na vez de Bolsonaro falar, embora Biden não tenha nem ouvido, o que se ouviu foi um Bolsonaro diferente do que ele mesmo pratica.

Segundo anotou a Folha de S.Paulo, o líder brasileiro “repetiu as metas já assumidas pelo país, de cortar emissões (de carbono) em 37% até 2025 e em 43% até 2030, e o compromisso que já constava na carta enviada a Biden, de reduzir o desmatamento ilegal no Brasil até 2030. Em um pequeno avanço em relação ao que disse no documento ao líder americano, Bolsonaro afirmou que o Brasil pretende alcançar a neutralidade climática até 2050, ‘antecipando em dez anos a sinalização anterior'”.

O discurso do governo brasileiro foi criticado por 9 em 10 ambientalistas, jornalistas e membros da sociedade civil que têm observado na prática o que o governo Bolsonaro tem feito (contra) na questão do meio ambiente.

De qualquer forma, foi bem recebido pelos agentes do mercado, que só querem ouvir um Bolsonaro mais “domado”. Foi o que receberam.

Mas os EUA também saudaram como positiva fala brasileira, mas ainda aguardam “planos sólidos”.

No campo dos negócios, estados, municípios e Governo Federal terão um reforço de caixa de até R$ 11,4 bilhões em 2022, graças aos leilões das áreas do pré-sal.

Os campos de Sépia e Atapu movimentarão investimentos de até R$ 200 bilhões pela exploração das áreas, rendendo dividendos para as esferas já citadas.

O Ministério da Economia emitiu um comunicado hoje confirmando que o leilão do pré-sal será realizado em dezembro deste ano, mas o dinheiro só entrará nos cofres a partir de abril de 2022.

Nos dados, mesmo com a recuperação do Ibovespa nas últimas semanas, o desempenho da bolsa brasileira ainda está bem aquém do observado no mercado internacional.

Segundo levantamento do Valor Data, o Ibovespa amarga uma das piores colocações entre os principais mercados globais neste ano, superando apenas a Turquia – tanto em moeda local quanto em dólar.

Bolsa: ações

Das 81 ações negociadas na bolsa, 25 subiram, 2 ficou estáveis (BEEF3 e ITSA4) e as outras 54 caíram em relação à sessão anterior.

Mais negociadas

  • Vale (VALE3): R$ 106,23 (+0,07%)
  • Petrobras (PETR4): R$ 23,71 (-0,46%)
  • Lojas Renner (LREN3): R$ 40,80 (-5,99%)
  • CSN (CSNA3): R$ 48,72 (+4,41%)
  • Usiminas (USIM5): R$ 22,21 (+5,36%)

Maiores altas

  • Cielo (CIEL3): R$ 3,87 (+6,03%)
  • Usiminas (USIM5): R$ 22,21 (+5,36%)
  • CSN (CSNA3): R$ 48,72 (+4,41%)
  • Gol (GOLL4): R$ 23,07 (+3,83%)
  • Azul (AZUL4): R$ 38,66 (+3,26%)

Maiores baixas

  • Lojas Renner (LREN3): R$ 40,80 (-5,99%)
  • Suzano (SUZB3): R$ 69,55 (-3,79%))
  • Multiplan (MULT3): R$ 23,10 (-3,47%)
  • Locamerica (LCAM3): R$ 24,61 (-3,45%
  • Natura (NTCO3): R$ 47,60 (-3,31%)

Outros índices brasileiros

  • IBrX 100: -0,54% (51.468,74 pontos)
  • IBrX 50: -0,43% (19.994,54 pontos)
  • IBrA: -0,50% (4.839,01 pontos)
  • SMLL: -0,25% (2.935,64 pontos)
  • IFIX: -0,09% (2.839,26 pontos)
  • BDRX: -2,22% (13.109,53 pontos)

Commodities

Petróleo Brent (junho)/barril

  • segunda-feira (19): +0,42% (US$ 67,05)
  • terça-feira (20): -0,71% (US$ 66,57)
  • quarta-feira (21): -1,87% (US$ 65,32)
  • quinta-feira (22): +0,12% (US$ 65,40)
  • semana: -2,04% (US$ 65,40)

Petróleo WTI (maio)/barril

  • segunda-feira (19): +0,38% (US$ 63,43)
  • terça-feira (20): -1,20% (US$ 62,67)
  • quarta-feira (21): -2,11% (US$ 61,35)
  • quinta-feira (22): +0,13% (US$ 61,43)
  • semana: -2,80% (US$ 61,43)

Ouro (junho)/onça-troy

  • segunda-feira (19): -0,53% (US$ 1.770,60)
  • terça-feira (20): +0,44% (US$ 1.778,40)
  • quarta-feira (21): +0,84% (US$ 1.792,30)
  • quinta-feira (22): -0,61% (US$ 1.782,00)
  • semana: +0,14% (US$ 1.782,00)

Prata (maio)/onça-troy

  • segunda-feira (19): -1,05% (US$ 25,83)
  • terça-feira (20): -0,03% (US$ 25,82)
  • quarta-feira (21): +2,83% (US$ 26,58)
  • quinta-feira (22): -1,61% (US$ 26,13)
  • semana: +0,14% (US$ 26,13)

Com Wisir Research, BDM e CNBC