Bolsa: Petrobras (PETR4) tem a maior alta desta segunda-feira e Hering (HGTX3), a baixa

Karin Barros
Colaborador do Torcedores
1

A maior alta do dia no Ibovespa nesta segunda (19) foi da Petrobras (PETR4) com 5,79% para R$ 24,28.

Segundo o BDM, o discurso market friendly de posse do general Joaquim Silva e Luna foi comprado pelo mercado, ainda que tenha que se provar na prática.

O novo presidente da Petrobras prometeu que a volatilidade dos preços dos combustíveis será reduzida, “sem prejudicar a paridade internacional” e assegurou que a governança corporativa impede “riscos de aventuras e empresta segurança aos acionistas”.

Com isso, o papel saltou, mas ainda acumulam perdas de 11,45% e 14,73%, respectivamente, no ano, marcado pelo temor de interferência política nos preços.

Já a grande queda do dia ficou com a Hering (HGTX3) com -3,97% para R$ 22,44.

Após as varejistas de moda registrarem volatilidade em boa parte da sessão, os ativos fecharam em queda em sua maioria.

Lojas Renner (LREN3, R$ 45,23, -3,56%) e Cia. Hering (HGTX3, R$ 22,44, -3,98%), caíram entre 3,5% e 4%.

O movimento ocorreu após a disparada dos ativos na última sexta-feira, com LREN3 tendo subido quase 12%, em meio ao noticiário movimentado para o setor varejista, segundo o Infomoney.

Vetos menos amplos

A pressão de queda dos bancos (Bradesco PN BBDC4, -0,45%, a R$ 23,62, e Itaú ITUB4, -1,50% a R$ 27,53), a virada da Vale para o negativo e o desconforto nos minutos finais dos negócios com os comentários sobre os vetos menos amplos nas emendas do Orçamento, sinalizados pela ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, ofuscaram o impacto positivo do rali da Petrobras sobre o Ibovespa.

O índice à vista, que vinha desafiando as quedas em NY em boa parte do dia, inverteu a direção perto do fechamento e terminou em baixa de 0,15%, devolvendo os 121 mil pontos (120.933,78).

O giro de R$ 56,1 bilhões foi inflado pelo exercício das opções.

Braskem também se destaca

Segunda maior alta do Ibov, Braskem PNA (BRKM5) disparou 5,62%, com informações na imprensa de que o fundo soberano Mubadala conversa com a Odebrecht sobre uma possível aquisição de sua fatia de 50,1% na petroquímica.

Ainda JBS (JBSS3) foi alvo de uma onda de compras (ON, +3,74%), com o anúncio de ampliação de seu portfólio, através da aquisição da fabricante holandesa de proteína vegetal Vivera.

Operando em dois tempos, as ações da Vale primeiro investiram para perto de R$ 110, na máxima intraday de R$ 109,88, de carona na alta de quase 2% do minério de ferro.

Mas vacilaram no final (VALE3, -0,87%, a R$ 107,73), à espera dos dados de produção e vendas do 1TRI, esperados para esta segunda.