Bolsa: Minerva Foods (BEEF3) tem maior alta nesta terça e Lojas Americanas (LAME4), a baixa

Karin Barros
Jornalista com atuação nos dois principais jornais impressos da Grande Florianópolis por quase 10 anos. Costumo dizer que sou viciada em informação, por isso me encantei com a economia, que une tudo de alguma forma sempre. Atualmente também vivo intensamente o mundo da assessoria de imprensa e do PR.
1

Crédito: Divulgação

A maior alta do Ibovespa nesta terça foi da Minerva Foods (BEEF3) com 6,14% para R$ 10,20.

As ações dos frigoríficos se destacaram puxadas pela valorização do dólar e pelo bom desempenho da Marfrig (MRFG3, +1,85%), que divulgou na segunda seus resultados do 4TRI, com salto de 4.252% no lucro do 4TRI. JBS (JBSS3) ganhou 1,65%.

A maior baixa ficou com as Lojas Americanas (LAME4) com 5,70% para R$ 21.

Em meio ao cenário doméstico tumultuado, o Ibovespa lutou para sustentar os 111 mil pontos e, mesmo com as altas firmes em NY, foi tudo o que conseguiu nesta terça, fechando em alta de 0,65%, aos 111.330,62 pontos.

Teve o apoio das ações de Petrobras e das siderúrgicas, que viraram na reta final.

A tentativa de Bolsonaro para desidratar a PEC Emergencial, que vai a plenário na quarta (10), na Câmara, foram amenizados por garantias do relator e de Arthur Lira de que o texto do Senado será mantido, ainda que permaneçam os receios de apresentação de emendas pela chamada “bancada da bala” para proteger os policiais militares dos gatilhos ou retirar o que sobrou dos cortes de subsídios fiscais.

Em mais um sinal negativo para o investidor estrangeiro, um dia após o ministro Edson Fachin, do STF, tomar a decisão que tornou Lula elegível, Gilmar Mendes levou para a Segunda Turma o habeas corpus sobre a suspeição de Sergio Moro, empatando o placar, em 2 a 2.

O julgamento foi suspenso com o pedido de vista de Nunes Marques.

O dólar em alta acentuada também contribuiu para o desempenho de Suzano (SUZS3), +5,06%; Braskem (BRKM5), +4,27%; Weg (WEGE3), +3,40%; e PetroRio (PRIO3), +3,93%.

Combustíveis

Anúncio de reajuste nos preços da gasolina e do diesel, a partir desta terça, elevaram Petrobras ON (PETR3), em +1,86% (R$ 21,39), e PN (PETR4), em +2,32% (R$ 21,59).

Já os bancos foram mistos. Banco do Brasil (BBAS3), -0,72%; Bradesco ON (BBDC3), +0,14%; Bradesco PN (BBDC4), +0,83%; BTG (BPAC11), -2,09%; Itaú (ITUB4), +1,38%; Santander (SANB11), -0,23%.

Minério de ferro

O tombo de 5,70% no preço do minério de ferro em Qingdao, na China, em meio a limites de produção no polo de Tangshan para conter a poluição, levou CSN (CSNA3) a perder 3,67%.

Mas todo o setor virou na reta final: Gerdau (GGBR4), +1,34%; Metalúrgica Gerdau (GOAU4), +0,99%; Usiminas (USIM5), +0,59%. Vale (VALE3) também amenizou baixa, fechando em -1% (R$ 98,67).

A perspectiva negativa sobre a recuperação da economia e o estresse com a curva de juros afetou construtoras e varejistas.

MRV (MRVE3), -3,48%; Eztec (EZTC3), -3,93%; Lojas Americanas (LAME4), -5,70%; B2W (BTOW3), -5,25%.