Bolsa: Lojas Americanas (LAME4) tem a maior alta desta terça e Eneva (ENEV3), a baixa

Karin Barros
Jornalista com atuação nos dois principais jornais impressos da Grande Florianópolis por quase 10 anos. Costumo dizer que sou viciada em informação, por isso me encantei com a economia, que une tudo de alguma forma sempre. Atualmente também vivo intensamente o mundo da assessoria de imprensa e do PR.
1

Crédito: Divulgação

A maior alta da bolsa brasileira nesta terça-feira (13) foi das Lojas Americanas com 9,31% para R$ 24,07.

O que colaborou foi a divulgação do IBGE nesta terça sobre as vendas no varejo em fevereiro, que avançaram 0,6% na comparação mensal e recuaram 3,8% em base anual, em linha com as estimativas do mercado.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Segundo o time Macro Research do BTG Pactual digital, pela redução do consumo das famílias, o varejo deve contribuir negativamente para a economia no primeiro trimestre.

Por outro lado, com as novas medidas de restrição de mobilidade social, uma nova rodada de auxílio emergencial começou a ser distribuída na primeira semana de abril.

Com o novo auxílio, o segmento varejista pode voltar a crescer.

Já a grande queda foi da Eneva (ENEV3) com -7,09% para R$ 16,78 que despencou com a informação de que o BTG Pactual está começando a vender a sua participação de 22,89% na companhia que atua nos setores de geração de energia.

Bolsa chega a 119 mil pontos

O Ibovespa ignorou nesta terça-feira (13) a dinâmica fiscal complicada pela PEC fura-teto e impasse do Orçamento, combinada ao risco político da instalação da CPI da Covid.

A disputa especulativa para o vencimento do Índice Futuro, na quarta (14), parece ter contribuído para os comprados puxarem o Ibovespa (+0,41%) para cima dos 119 mil pontos (119.297,13), patamar que não era alcançado desde a metade de fevereiro.

A bolsa zerou, assim, as perdas no ano e sobe agora 0,24% no acumulado de 2021.

O giro (R$ 29,3 bilhões) seguiu abaixo dos R$ 30 bilhões.

Setor siderúrgico em alta

As siderúrgicas subiram em bloco, colocando no radar os dados fortes de importação da China e a perspectiva de novas medidas para o setor, que tem reunião marcada com o governo para esta quarta, às 17h.

Usiminas PNA (USIM5) registrou alta de 2,89%, CSN ON (CSNA3), +2,73%, Gerdau PN (GGBR4), +2,31%, e Gerdau Metalúrgica PN (GOAU4), +2,44%.

Vale VALE3, que vem de máximas recentes, foi mais devagar (+0,17%), a R$ 103,58. Os bancos interromperam os ganhos firmes do dia anterior.

Bradesco PN (BBDC4) caiu 0,86% (R$ 25,50) e Itaú (ITUB4) fechou estável (-0,04%), a R$ 27,29.

Sem o mesmo fôlego do petróleo, Petrobras PN PETR4 subiu 0,33%, a R$ 23,97, e ON PETR3 ficou no zero a zero (-0,04%), a R$ 27,29.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo