Bolsa: Vale (VALE3) tem maior alta e Cielo (CIEL3), a baixa

Karin Barros
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação

A Vale (VALE3) teve a maior alta no índice Ibovespa desta sexta-feira (11), com 6,05% para R$ 62,07.

Já o grande declínio do pregão foi com a Cielo (CIEL3) com -4,31% para R$ 4,44.

As ações da Vale (VALE3) registram valorização após a divulgação na quinta-feira da aprovação de pagamento de proventos pelo conselho de administração. O papel está entre as maiores altas da bolsa.

A companhia irá pagar por ação R$ 2,4075, sendo R$ 1,4102 em forma de dividendos e R$ 0,9973 na forma de juros sobre o capital próprio (JCP).

Segundo o comunicado, o repasse ocorrerá em 30 de setembro. A ações serão negociadas ex-dividendos a partir de 22 de setembro.

A Bradescard (BRAP4), GPA (PCAR3), Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) e Natura (NTCO3) também estiveram entre as altas do pregão.

A maior queda do dia

A Cielo (CIEL3) divulgou na quinta-feira (10) um comunicado ao mercado reafirmando que não participa das discussões entre o Banco Central e instituições de arranjos de pagamento sobre as transações via Whatsapp.

O comunicado foi motivado por uma solicitação de esclarecimentos a respeito de uma matéria publicada pela revista Istoé Dinheiro.

No texto, a alta dos papéis da Cielo nos dois primeiros dias de setembro é creditada a uma fala do presidente do BC, Roberto Campos Neto, que comentou sobre o “avançado nas tratativas” com o Facebook para permitir pagamentos e transferências de recursos por meio do aplicativo.

No documento, a Cielo afirma que “não participa e não foi notificada” das discussões entre o BC e esses arranjos de pagamento.

Evitando uma queda maior

Além de o minério de ferro ter fechado em alta de 1,81% em Qingdao, houve a boa surpresa da volta de distribuição de dividendos, no valor de até US$ 2,3 bilhões. As demais ações do setor foram muito bem.

Gerdau PN (GGBR4) ganhou 0,30% e Gerdau Metalúrgica PN (GOAU4) +0,44%. Mas Usiminas PNA (USIM5) realizou lucros ao longo do pregão e caiu 1,58%.

Com o petróleo tipo Brent em queda, Petrobras ON (PETR3) recuou 0,50% e PN (PETR4) -1,08%.

Bancos prejudicados

Os bancos foram bastante prejudicados com a exigência de deposição ao vivo de Bolsonaro à Polícia Federal. Tudo o que o setor não quer é instabilidade política.

Banco do Brasil ON (BBAS3) caiu 1,63%, Bradesco ON (BBDC3) -2,28% e PN (BBDC4) -1,87%. A Unit do BTG (BPAC11) recuou 1,29%, Itaú Unibanco (ITUB4) perdeu 1,17% e Santander Unit (SANB11) desvalorizou 1,25%.

Bolsa: ações

Das 77 ações negociadas na bolsa, apenas 13 subiram, duas ficaram estáveis e 62 caíram em relação ao dia anterior.

A Vale (VALE3) liderou as altas desta sexta-feira, com mais 5,96%, após a divulgação ontem de aprovação de pagamento de proventos pelo conselho de administração.

O Pão de Açúcar (PCAR3) ainda colhe os frutos do anúncio de cisão do Assaí. Ontem, subiu mais de 15%. Hoje, ganhou 3,94%.

É o ativo mais valorizado na semana, com alta de 17,24%.

Azul (AZUL4) também se destaca, com alta de 1,72%, após divulgar que o tráfego de passageiros consolidados (RPKs) aumentou 26,4% em relação a julho de 2020.

Enquanto isso, a capacidade, ou assentos-quilômetro oferecidos (ASKs), subiu 33,3%. Assim, a taxa de ocupação ficou em 75,5%, uma queda de 4,1 pontos percentuais na relação com julho.

O mesmo aconteceu ontem com a Gol (GOLL4), embora hoje a aérea tenha caído 2,47%.

A Tecnisa (TCSA3) perdeu 4,08% após maioria dos acionistas rejeitar fusão com a Gafisa (GFSA3), que também caiu, mas 3,19%.

A varejista de produtos para animais Petz (PETZ3) estreou na bolsa de valores sendo uma das mais negociadas no dia. O papel subiu mais de 21,82% no seu primeiro dia.

Mais negociadas

  • Vale (VALE3): R$ 61,95 (+5,84%)
  • Petrobras (PETR4): R$ 21,88 (-1,08%)
  • Via Varejo (VVAR3): R$ 17,96 (-0,33%)
  • Magazine Luiza (MGLU3): R$ 87,57 (-0,77%)
  • Petz (PETZ3): R$ 16,75 (+21,85%)

Maiores altas

  • Vale (VALE3): R$ 61,95 (+5,84%)
  • Bradespar (BRAP4): R$ 44,90 (+4,35%)
  • CSN (CSNA3): R$ 16,00 (+4,03%)
  • Pão de Açúcar (PCAR3): R$ 74,18 (+3,97%)
  • Natura (NTCO3): R$ 51,62 (+3,76%)

Maiores baixas

  • Cielo (CIEL3): R$ 4,44 (-4,31%)
  • IRB Brasil (IRBR3): R$ 6,04 (-4,13%)
  • Notre Dame Intermédica (GNDI3): R$ 69,86 (-3,77%)
  • Hypera (HYPE3): R$ 30,65 (-3,59%)
  • Qualicorp (QUAL3): R$ 32,26 (-3,30%)

Maiores altas da semana

  • Pão de Açúcar (PCAR3): R$ 74,18 (+17,24%)
  • Azul (AZUL4): R$ 26,58 (+8,09%)
  • CSN (CSNA3): R$ 16,00 (+6,88%)
  • Natura (NTCO3): R$ 51,62 (+4,39%)
  • JBS (JBSS3): R$ 14,40 (+3,02%)

Maiores baixas da semana

  • IRB Brasil (IRBR3): R$ 6,04 (-13,09%)
  • PetroRio (PRIO3): R$ 39,61 (-10,08%)
  • Embraer (EMBR3): R$ 6,81 (-8,10%)
  • Bradesco (BBDC3): R$ 18,87 (-7,14%)
  • Lojas Renner (LREN3): R$ 43,10 (-6,91%)

Outros índices brasileiros

  • IBrX 100: -0,52% (sexta-feira) | -2,84% (41.692,51 pontos)
  • IBrX 50: -0,32% (sexta-feira) | -2,91% (16.044,84 pontos)
  • IBrA: -0,59% (sexta-feira) | -2,92% (3.899,00 pontos)
  • SMLL: -1,57% (sexta-feira) | -3,28% (2.385,86 pontos)
  • IFIX: -0,04% (sexta-feira) | +0,10% (2.791,80 pontos)

Commodities

O petróleo fechou em baixa de 0,57% No Brent, enquanto no WTI ficou quase estável, com mais 0,08%.

Em meio às incertezas que permeiam o cenário atual de pandemia, os preços tendem a cair, embora pouco.

Na semana, o preço do Brent 6,65%. Na semana passada, havia perdido 5,30%.

Já o do WTI caiu 3,69%. Na semana passada, perdeu outros 7,43%.

  • Brent (para novembro): US$ 39,83 (-0,57%)
  • WTI (para outubro): US$ 37,33 (+0,08%)

O ouro caiu mais 0,83% nesta sexta, fechando a semana com um leve ganho de 0,38%.

  • Ouro (dezembro): US$ 1.947,90 (-0,83%)

Com Wisir Research