Bolsa de valores sobe 1,97%, seguindo as altas em Wall Street

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Arte / EQI

A bolsa de valores começou a primeira semana cheia de abril com uma consistente alta de 1,97%. Nesta segunda-feira (5), fechou em 117.518,44 pontos, em linha com a alta dos principais índices em Wall Street.

A pandemia ainda fundamenta as preocupações e possíveis novas restrições podem colocar a economia ainda mais no gelo, elevando também o dólar, com nova fuga e investidores e divisas. Mas não foi o resumo desta segunda. No âmbito da política, o que animou foram os esforços de Legislativo e Executivo por um entendimento acerca do Orçamento 2021.

Mas, no Brasil, a Vale (VALE3) teve mais peso na subida do índice, atingindo a máxima histórica de R$ 103,82 no final do dia, por conta do anúncio do Programa de Recompra de Ações e da alta do minério de ferro.

Além disso, dados fortes do PMI do setor de serviços dos Estados Unidos justificaram também o bom humor e a baixa do dólar.

Hoje, o Ibovespa apresentou na mínima 115.262,30 pontos (+0,001%); e na máxima, 117.667,85 pontos (+2,09%).

O volume financeiro negociado foi de R$ 25,875 bilhões.

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • segunda-feira (5): +1,97% (117.518,44 pontos)
  • semana: +1,97%
  • abril: +0,76%
  • 2021: -1,26%

Dólar

O dólar caiu nesta segunda. A moeda norte-americana desceu 0,62%, valendo R$ 5,6798.

  • segunda-feira (5): -0,62% a R$ 5,6798
  • semana : -0,62% a R$ 5,6798

Euro

  • segunda-feira (5): -0,23% a R$ 6,7016
  • semana: -0,23% a R$ 6,7016

Bolsa em Nova York e cenário mundial

Os investidores compraram hoje em Nova York, empolgados com uma forte recuperação do emprego nos EUA no mês passado, aumentando as expectativas de uma rápida recuperação econômica da pandemia.

O crescimento de empregos nos EUA disparou em março no ritmo mais rápido desde agosto de 2020, conforme informou o Departamento do Trabalho americano, nesta sexta-feira (2).

O país criou 916 mil empregos no mês, enquanto a taxa de desemprego caiu para 6%.

O resultado ficou acima da expectativa do mercado, que projetava a abertura de 675 mil postos de trabalho. Já o nível de desemprego ficou em linha com o consenso de mercado.

Segundo relatório, o crescimento econômico mais forte e um esforço agressivo de vacinação contribuíram para um aumento nos empregos de hotelaria e construção.

Analistas trabalham agora com a irreversibilidade da abertura econômica. Não se pensa mais em retrocessos. O quadro, em se tratando da pandemia, é de otimismo.

Já os rendimentos dos títulos, cujo avanço repentino assustou alguns investidores nas últimas semanas, continuaram a diminuir. O rendimento do Tesouro de 10 anos caiu ligeiramente para 1,71% na segunda-feira.

Segundo a CNBC, o mercado de ações está se fortalecendo depois que o presidente Joe Biden apresentou sua proposta para a infraestrutura de vários trilhões de dólares, que se concentra na reconstrução de estradas, pontes e aeroportos, expandindo o acesso à banda larga e impulsionando o uso de veículos elétricos e atualizando a rede elétrica do país. O plano será financiado em parte por um aumento na taxa de imposto sobre as empresas para 28%.

A secretária do Tesouro, Janet Yellen, defendeu na segunda-feira um imposto corporativo mínimo global em um esforço para impedir que as empresas se mudassem para encontrar taxas mais baixas.

No entanto, Biden enfrenta oposição entre os republicanos, já que o plano de US$ 2 trilhões inclui iniciativas que eles dizem que vão além das questões tradicionais de infraestrutura.

Na Europa e Oceania, os mercados não funcionaram, pela Segunda de Páscoa.

Nova York

  • S&P: +1,44%
  • Nasdaq: +1,67%
  • Dow Jones: +1,13%

Europa

  • Euro Stoxx 600 (Europa): feriado
  • DAX (Alemanha): feriado
  • FTSE 100 (Reino Unido): feriado
  • CAC (França): feriado
  • IBEX 35 (Espanha): feriado
  • FTSE MIB (Itália): feriado

Ásia e Oceania

  • Shanghai (China): não operou
  • SZSE Component (China): não operou
  • China A50 (China): não operou
  • DJ Shanghai (China): não operou
  • Hang Seng HSI (Hong Kong): não operou
  • SET (Tailândia): -1,04%
  • Nikkei (Japão): +0,79%
  • ASX 200 (Austrália): feriado
  • Kospi (Coreia do Sul): +0,26%

Brasil: ambiente político e econômico

O governo federal realiza entre os dias 7 e 9 uma série de leilões de aeroportos, portos e ferrovia. Chamada de Infra Week, a expectativa é arrecadar R$ 10 bilhões em investimentos privados com as concessões.

Estão na lista 22 aeroportos, a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), na Bahia, e cinco terminais portuários.

O Ministério da Infraestrutura prevê a geração de mais de 200 mil empregos, de forma direta, indireta e efeito-renda, ao longo dos contratos de arrendamento e concessões.

“No dia 7 de abril teremos o leilão de 22 aeroportos. É a mesma quantidade de todas as rodadas anteriores que já fizemos. De uma só vez. No dia 8 de abril a gente faz a Ferrovia de Integração Oeste-Leste. No dia 9, fazemos cinco terminais portuários”, explicou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Ainda pesa o problema do Orçamento 2021, aprovado há 10 dias pelo Congresso Nacional, e que aponta mais de R$ 30 bilhões acima do Teto de Gastos.

O relator da matéria, senador Marcio Bittar (MDB-AC), já prometeu retira do texto R$ 10 bilhões em emendas parlamentares, mas ainda falta outros vinte e tantos bilhões.

Legislativo e Executivo chegaram a um “acordo político”, segundo a nova ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda (PL-DF), sem uma definição de quanto ou o quê será cortado. Esse esforço animou os agentes de mercado. A data limite para aprovar ou vetar o documento é 22 de abril.

Na questão dos dados, o IPC-Fipe, que mede a inflação na cidade de São Paulo, variou 0,71% em março, ante 0,23% de fevereiro.

Na comparação mensal, houve avanço na Habitação, de 0% para 0,51% e na Alimentação, de -0,31% para 0,27%. Os demais grupos apresentaram recuo na variação de preços.

Já o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), que calcula a variação de preços de produtos e serviços em sete capitais do país, variou 1% e acumula alta de 6,11% nos últimos 12 meses.

Na leitura da semana anterior, a alta havia sido de 1,03%.

Nesta apuração, três das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Transportes (4,11% para 3,89%). Com destaque para o item gasolina, que foi de 11,66% para 11,05%.

Bolsa: ações

Das 81 ações negociadas na bolsa, 69 subiram, 1 ficou estável (SUZB3) e as outras 11 caíram em relação à sessão anterior.

Mais negociadas

  • Vale (VALE3): R$ 103,39 (+6,16%)
  • Petrobras (PETR4): R$ 24,04 (+0,63%)
  • Bradesco (BBDC4): R$ 26,01 (+0,92%)
  • Gerdau (GGBR4): R$ 29,44 (+0,20%)
  • Itaú Unibanco (ITUB4): R$ 27,45 (+1,29%)

Maiores altas

  • Yudqs (YDUQ3): R$ 28,95 (+8,67%)
  • Hering (HGTX3): R$ 16,98 (+6,99%)
  • Vale (VALE3): R$ 103,39 (+6,16%)
  • Cogna (COGN3): R$ 4,07 (+5,99%))
  • Bradespar (BRAP4): R$ 67,00 (+5,61%)

Maiores baixas

  • Cemig (CMIG4): R$ 12,51 (-2,04%)
  • Marfrig (MRFG3): R$ 17,52 (-1,96%)
  • Qualicorp (QUAL3): R$ 28,64 (-1,28%)
  • Tim (TIMS3): R$ 12,33 (-1,12%)
  • Copel (CPLE6): R$ 6,31 (-0,79%)

Outros índices brasileiros

  • IBrX 100: +2,29% (50.607,54 pontos)
  • IBrX 50: +2,42% (19.660,82 pontos)
  • IBrA: +2,20% (4.742,76 pontos)
  • SMLL: +7,74% (2.823,08 pontos)
  • IFIX: -0,08% (2.847,64 pontos)
  • BDRX: +1,06% (13.523,75 pontos)

Commodities

  • Brent (para junho): US$ 61,78 (-4,75%)
  • WTI (para maio): US$ 58,65 (-4,56%)
  • Ouro (junho): US$ 1.728,80 (+0,02%)

Com Wisir Research, BDM e CNBC