Bolsa de Valores: conheça o novo mercado

Humberto Maurício Pennacchia
null
1

Crédito: Reprodução / Pixabay

Você sabia que todas as empresas com ações negociadas na B3 (antiga Bovespa), são obrigadas a seguir regras mínimas de transparência nos seus negócios? Porém, se uma empresa deseja se destacar e saltar aos olhos do investidor, ela pode optar por seguir determinadas regras de conduta ainda mais rígidas e com mais transparência. Essas empresas se destacam pelo elevado nível de governança corporativa.

Você sabe o que é nível de governança corporativa? 

Ao falarmos de governança corporativa, estamos falando de  uma série de processos, mecanismos, regulamentos e políticas que são criadas com o objetivo de regular a administração ou controle de uma empresa. No caso das companhias listadas na bolsa – aquelas que são negociadas no pregão, a governança corporativa auxilia na proteção dos acionistas em relação a possíveis excessos oriundos da diretoria, executivos ou conselheiros da empresa.

Estes processos provenientes da governança corporativa atuam de modo a tentar manter os interesses dos gestores das empresas aliados aos interesses dos acionistas, evitando o chamado conflito de agência e visando proteção deste segundo grupo e seus respectivos investimentos e rendimentos. Na B3, temos vários níveis de governança corporativa, sendo que o novo mercado é o mais alto deles.

Saiba que, quanto mais alto o nível de governança, mais regras a companhia deve seguir e, consequentemente, mais interessante para o acionista minoritário ela se torna. Afinal, as regras de governança visam  minimizar os conflitos de interesse na companhia e a equiparar, tanto quanto possível, os minoritários aos controladores.

Saiba qual é a principal exigência para uma empresa entrar no novo mercado da B3: 

A principal exigência para entrar no novo mercado é a proibição da existência de ações preferenciais, as (PNs). Portanto, toda empresa que participa do novo mercado só pode emitir e negociar ações ordinárias (ONs). Isso acontece porque as ações ordinárias são papéis que dão direito a voto para seus portadores. Com isso, essa medida garante que todos os acionistas poderão participar ativamente das decisões da empresas, através de votações nas assembleias gerais de acionistas.