Bolsa de valores: qual estratégia adotar em 2020?

Daniele Andrade
Jornalista formada pela Universidade Positivo, pós-graduada em Mídias Digitais. Atualmente cursa bacharel em História. Gosta de produzir reportagens sobre política tanto nacional quanto internacional, economia e tecnologia.
1

Crédito: Reprodução / Pixabay

No último ano, muitos investidores adotaram a tática de investir em fundos de ações, o Valor Investe entrevistou especialistas para tentar compreender qual estratégia pode ser adotada ao investir em 2020. Será que a mesma tática de 2019 pode ser utilizada?

Analisando primeiro o mercado, de 2014 a 2018 muitas pessoas adotaram a estratégia “top down”. Em que foram privilegiadas as estatais de maior capitalização. Mas em 2019, com uma estabilidade macroeconômica, a tática foi investir na compra de ações de menor capitalização. Ou seja, de “top down”, os investidores se adaptaram a estratégia “bottom up”. O que acabou explicando a variação das small caps (58%) em relação a Ibovespa (32%).

“As small caps são menos acompanhadas pelos analistas, o que pode gerar maiores distorções entre o valor de mercado e o valor justo dessas empresas. Em outras palavras, as cotações das small caps tendem a apresentar maior desconto em relação ao seu valor intrínseco. Mas se essa regra tende a valer para períodos longos, pode não se verificar em prazos menores.”, segundo a reportagem do Valor Investe.

Respondendo a pergunta inicial, é possível seguir com a mesma estratégia. Segundo a reportagem do Valor Investe, nos anos 90 houve a mesma atitude. E os resultados foram positivos, já no Brasil dos anos 1997 a 2016 o resultado foi idêntico.  

A estratégia “bottom up” deve continuar a ser a escolha dos investidores em 2020, devido as condições macroeconômicas. As ações de estatais estão se recuperando pouco a pouco, mas por enquanto as small caps ainda se saem como melhor escolha. Se até o final do ano, permanecer a estabilidade politica e econômica no país, esse tipo de investimento deve superar o Ibovespa em 2020.