Bolsa de valores tem leve queda de 0,11%, esbarrando nos 122 mil

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Arte / EQI

A bolsa de valores ficou na estabilidade na abertura desta semana, com menos 0,11%, fechando em 121.909,03 pontos, um tanto acompanhando Nova York, que viu seus principais índices terminando o dia de maneira negativa.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

A política nacional voltando a dar as cartas nas preocupações dos agentes de mercado.

O Estado de S.Paulo trouxe este final de semana uma notícia bombástica do Tratoraço, esquema de distribuição de emendas que não obedece a Lei de Diretrizes Orçamentárias e é vista, a princípio, como compra de apoio parlamentar. É mais um escândalo pousando no colo do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), que o mercado segue apoiando e cacifando.

E tem a reforma tributária, que está enroscada com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

No campo econômico, nesta terça-feira (11), há a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é a inflação oficial do país, e da ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que deve resolver se a possível nova alta de 0,75 pontos percentuais na reunião de junho é só um boato ou realmente será indicada.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Hoje, o Ibovespa apresentou na mínima 121.794,50 pontos (-0,20%); e na máxima, 122.772,37 pontos (+0,60%).

O volume financeiro negociado foi de R$ 31,710 bilhões.

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • segunda-feira (10): -0,11% (121.909,03 pontos)
  • semana: -0,11%
  • maio: +2,53%
  • 2021: +2,43%

Dólar

O dólar abriu a semana na estabilidade. A moeda norte-americana subiu meros 0,07%, valendo R$ 5,2320.

  • segunda-feira (10): +0,07% a R$ 5,2320
  • semana : +0,07% a R$ 5,2320

Euro

  • segunda-feira (10): -0,35% a R$ 6,3479
  • semana: -0,35% a R$ 6,3479

Criptomoedas*

  • Bitcoin: -5,29% a R$ 286.384,14
  • Ethereum: -1,31% a R$ 20.041,24
  • Binance: -6,30% a R$ 3.233,80

*(variação nas últimas 24h – corte: 17h)

Bolsa em Nova York e cenário mundial

As ações lutaram hoje e terminaram com setas diferentes, negativas e positivas, tentando equilibrar o movimento da semana anterior.

As ações de transporte são amplamente vistos como um barômetro da atividade econômica global. A recuperação dessas ações sinaliza uma recuperação acelerada da pandemia.

Ainda assim, o relatório de empregos de abril mostrou que os empregadores dos EUA adicionaram 266.000 folhas de pagamento líquidas no mês passado. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam 1 milhão de acréscimos. Há ainda um longo caminho a percorrer, como disse o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na semana passada.

Futuros de gasolina experimentaram negociações voláteis depois que um ataque de ransomware forçou o fechamento do maior oleoduto de combustível dos EUA no fim de semana. A Colonial Pipeline, que opera um sistema de 5.500 milhas (pero de 8.900 quilômetros), disse que partes de seu sistema estão sendo colocadas online novamente e que espera restaurar o serviço até o final da semana.

Os mercados de ações na Ásia-Pacífico fecharam, em sua maioria, em alta, ignorando os relatórios de empregos nos EUA, mais fracos do que o esperado.

A Europa foi pela mesma linha, mas as ações tenderam mais à estabilidade, diante do avanço monumental e descontrolado da pandemia na Índia, com a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertando sobre a possibilidade não só uma cepa do SARS-CoV2, já detectada, como algumas mais infecciosas e possivelmente mortais.

Nova York

  • S&P: -1,04%
  • Nasdaq: -2,55%
  • Dow Jones: -0,01%

Europa

  • Euro Stoxx 600 (Europa): -0,27%
  • DAX (Alemanha): +0,02%
  • FTSE 100 (Reino Unido): -0,08%
  • CAC (França): +0,01%
  • IBEX 35 (Espanha): +0,94%
  • FTSE MIB (Itália): +0,78%

Ásia e Oceania

  • Shanghai (China): +0,27%
  • SZSE Component (China): -0,11%
  • China A50 (China): -0,54%
  • DJ Shanghai (China): +0,16%
  • Hang Seng HSI (Hong Kong): -0,12%
  • SET (Tailândia): +0,20%
  • Nikkei (Japão): +0,55%
  • ASX 200 (Austrália): +1,30%
  • Kospi (Coreia do Sul): +1,63%

Brasil: ambiente político e econômico

Tratoraço. Esse é o nome do escândalo que caiu no colo do governo Bolsonaro, após detalhada matéria do jornal O Estado de S.Paulo. Além do fato de haver distribuição de dinheiro a parlamentares amigos além do que permite a legislação (são no máximo R$ 8 milhões por ano para cada parlamentar, da situação ou da oposição), houve muito superfaturamento, especialmente em máquinas, como tratores – daí o nome do escândalo.

Há casos de superfaturamento de até 260% na compra de tratores.

O “orçamento paralelo”, que é o resumo da negociata de compra de apoio, chegou a dar nas mãos de Davi Alcolumbre (ex-presidente do Senado, DEM-AP) R$ 277 milhões para ele distribuir personalisticamente, de acordo com sua vontade em currais políticos, ao contrário do que manda a legislação, de ser uma distribuição, via ministérios, técnica, baseado em estatísticas e necessidades de cada município.

Ainda não se sabe no que vai dar o escândalo. Como o presidente da Câmara é um dos beneficiados (algo em torno de R$ 114 milhões, segundo o jornal paulista), é capaz de não dar em nada mesmo. Só Lira, pelo cargo que ocupa, é que pode dar andamento em um processo de impedimento do presidente da República. E ele já disse que não crime que o presidente possa cometer para ele dar prosseguimento ao processo.

Na questão da reforma tributária, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou hoje (10), por meio de uma rede social, que a proposta da reforma Tributária vai ser fracionada e dividida entre três ou quatro relatores. Lira disse que vai definir a questão com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em uma conversa ainda nesta segunda-feira.

Lira disse ainda que quer avançar com o texto sem se “preocupar com a paternidade” do projeto e que vai decidir ainda esta semana sobre o formato de tramitação da proposta.

No campo dos dados, a atividade industrial voltou a crescer no mês de março, com uma alta de 2,2% no faturamento das indústrias, segundo a pesquisa Indicadores Industriais, divulgada mensalmente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O resultado do mês de março compensa em parte a queda de 3,6% no faturamento registrado em fevereiro, quando a atividade industrial sentiu os efeitos da segunda onda da pandemia de covid-19.

Na comparação com o mês do ano passado, a alta no faturamento de março foi de 12,7%. Contudo, é importante lembrar que em março de 2020 os resultados foram afetados pelos primeiros efeitos da pandemia de covid-19 sobre a atividade industrial.

Bolsa: ações

Das 84 ações negociadas na bolsa, 37 subiram e as outras 47 caíram em relação à sessão anterior.

Mais negociadas

  • Vale (VALE3): R$ 114,69 (-0,66%)
  • Petrobras (PETR4): R$ 24,70 (+1,31%)
  • Bradesco (BBDC4): R$ 26,64 (+2,41%)
  • Itaú Unibanco (ITUB4): R$ 28,04 (+1,48%)
  • CSN (CSNA3): R$ 50,74 (+0,22%)

Maiores altas

  • CVC (CVCB3): R$ 25,15 (+5,05%)
  • Marfrig (MRFG3): R$ 20,22 (+3,48%)
  • Pão de Açúcar (PCAR3): R$ 37,74 (+2,72%)
  • Cogna (COGN3): R$ 3,97 (+2,58%)
  • Bradesco (BBDC4): R$ 26,64 (+2,41%)

Maiores baixas

  • Locaweb (LWSA3): R$ 23,50 (-5,28%)
  • Banco Inter (BIDI11): R$ 199,75 (-4,87%)
  • B2W (BTOW3): R$ 59,75 (-4,37%)
  • Lojas Americanas (LAME4): R$ 19,69 (-3,95%)
  • PetroRio (PRIO3): R$ 18,48 (-3,80%)

Outros índices brasileiros

  • IBrX 100: -0,24% (52.808,84 pontos)
  • IBrX 50: -0,11% (20.622,26 pontos)
  • IBrA: -0,21% (4.970,02 pontos)
  • SMLL: -0,16% (2.410,30 pontos)
  • IFIX: -0,36% (2.846,28 pontos)
  • BDRX: -1,64% (15.594,59 pontos)

Commodities

Petróleo Brent (julho)/barril

  • segunda-feira (10): +0,06% (US$ 68,32)
  • semana: +0,06% (US$ 68,32)

Petróleo WTI (junho)/barril

  • segunda-feira (10): +0,03% (US$ 64,92)
  • semana: +0,03% (US$ 64,92)

Ouro (junho)/onça-troy

  • segunda-feira (10): +0,34% (US$ 1.837,60)
  • semana: +0,34% (US$ 1.837,60)

Prata (julho)/onça-troy

  • segunda-feira (10): -0,48% (US$ 27,35)
  • semana: -0,48% (US$ 27,35)

Com Wisir Research, BDM e CNBC

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.