Bolsa cai 1,18% no dia e fecha a semana positiva em 0,42%

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Arte / EQI

Após registrar uma leve alta na abertura da sessão desta sexta-feira (16) o Ibovespa virou por volta das 11h00 e fechou em baixa de 1,18%.

Lá fora, os índices acionários americanos desistiram dos ganhos iniciais do pregão, após uma pior leitura do índice de sentimento do consumidor, abaixo do esperado – o que ofuscou os fortes números de vendas no varejo e relatórios de lucros.

Por aqui, o dia é marcado pelo vencimento de opções sobre ações e avanço nos preços do petróleo.

No país, a agenda de indicadores e o noticiário escasso no Brasil dificultam movimentos de impacto no mercado. O Congresso Nacional entra em recesso e as atenções sobre política tendem a diminuir.

Vale lembrar que foi aprovada ontem (15) a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2022,  que determina as metas e prioridades para os gastos do governo no ano que vem.

O texto prevê um déficit de R$ 170,47 bilhões para o orçamento, e um fundo eleitoral ampliado de R$ 2 bilhões para mais de R$ 5,7 bilhões.

Já as mudanças no imposto de renda e a tributação de dividendos ficaram para depois do recesso parlamentar.

Pela manhã saíram os dados do Monitor do PIB, apurados pela FGV, que apontaram para um crescimento de 1,8% na atividade econômica em maio, na comparação com abril, e retração de 0,9% no trimestre finalizado em maio. Na comparação com maio de 2020, a economia cresceu 13,4% em maio e 9,7% no trimestre.

Estes números sugerem que há um ritmo de intenso crescimento desde abril devido à baixa base de comparação em 2020. Entretanto, a economia ainda se encontra 0,7% abaixo do nível que detinha em fevereiro de 2020, período anterior ao início da pandemia no país.

O IGP-10 desacelerou para 0,18% em julho, ante 2,32% de maio. Ainda assim, veio acima da projeção, que era de 0,16%.

E o IPC-S acelerou de 0,80% para 0,88% na segunda leitura de julho.

Sobre a pandemia, até a noite de ontem, o país registrava queda de 19% na média móvel de mortes em 14 dias. A média móvel de casos caía 18%. Os vacinados com ao menos uma dose de imunizante contra Covid-19 são 41,11% da população. Com duas doses ou vacina de dose única, são 15,4%.

Hoje, o Ibovespa apresentou na mínima 125.807,95 pontos; e na máxima, 128.010,15 pontos.

O volume financeiro negociado foi de R$ 19,32 bilhões.

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • segunda-feira (12): +1,73% (127.593,83 pontos)
  • terça-feira (13): +0,45% (128.167,74 pontos)
  • quarta-feira (14): +0,19% (128.406,51 pontos)
  • quinta-feira (15): -0,73% (127.467,88 pontos)
  • sexta-feira (16): -1,18% (125.960,26 pontos)
  • semana: +0,42%
  • julho: -0,66%
  • 2021: +5,96%

Dólar

O dólar fechou próximo da estabilidade nesta sexta. A moeda norte-americana subiu 0,01% e passou a valer R$ 5,115.

  • segunda-feira (12): -1,25% a R$ 5,1740
  • terça-feira (13): +0,13% a R$ 5,1809
  • quarta-feira (14): -1,87% a R$ 5,0841
  • quinta-feira (15): +0,60% a R$ 5,1147
  • sexta-feira (16): +0,01% a 5,115
  • semana : -2,38% a R$ 5,114

Bolsa em Nova York e cenário mundial

As vendas no varejo dos EUA vieram bem melhor do que o mercado projetava: cresceram 0,6% em junho, na comparação com maio, chegando a US$ 621,3 bilhões. A expectativa era de recuo de 0,4%.

Da zona do euro veio a notícia de que a inflação ao consumidor foi de 1,9% em junho, ante 2% de maio. O resultado veio em linha com a projeção, mas vale dizer que, no mesmo mês de 2020, a inflação por lá era de 0,3%.

No início da semana, o Banco Central Europeu anunciou uma mudança na sua meta da inflação, que agora é de 2% – e não mais “pouco abaixo de 2%” -, alertando que desvios, para cima ou para baixo, não são desejáveis.

Ainda sobre o tema inflação, o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, não animou o mercado ontem (15), ao se dizer desconfortável com a alta dos preços.

Mesmo mantendo o tom paciente e repetindo o mantra de que a alta é transitória e decorrente de uma demanda maior que a oferta pós-pandemia, ele admitiu que se a inflação se mostrar maior e mais longa, será preciso reavaliar os riscos.

Outro ponto que fez ressurgir no investidor a dúvida se já é hora do Fed realizar o tapering (retirada dos estímulos) foi o avanço do mercado de trabalho apontado pelos novos pedidos de seguro-desemprego. Eles vieram em 360 mil, exatamente como o mercado previa, sendo o menor nível desde o início da pandemia. A retomada do emprego é ponto-chave do Fed para definir sua política monetária.

Os investidores também acompanham em alerta a disseminação da variante delta da Covid-19, receosos de que ela possa ocasionar revezes no crescimento econômico global. O número de casos vem subindo nos EUA e também na Europa.

Nova York

  • S&P: -0,76%
  • Nasdaq: -0,80%
  • Dow Jones: -0,86%

Europa

  • Euro Stoxx 50 (Europa): -0,51%
  • DAX (Alemanha): -0,57%
  • FTSE 100 (Reino Unido): -0,06%
  • CAC (França): -0,51%
  • IBEX 35 (Espanha): -0,24%
  • FTSE 100: -0,06%

Bolsa: ações

Mais negociadas

  • Petrobras (PETR4): R$ 26,68 (-1,48%)
  • Bradesco (BBDC4): R$ 24,37 (-2,21%)
  • Lojas Americanas (LAME4): R$ 20,90 (+1,51%)
  • Cogna (COGN3): R$ 4,14 (-1,19%)
  • Cielo (CIEL3): R$ 3,52 (-0,57%)

Maiores altas

  • B2W Digital ON (BTOW3): R$ 68,00 (+4,15%)
  • Sabesp (SBSP3): R$ 37,07 (2,12%)
  • Marfrig (MRFG3): R$ 18,83 (1,56%)
  • Lojas americanas (LAME4): R$ 20,90 (1,51%)
  • Raia Drogasil (RADL3): R$ 27,09 (1,46%)

Maiores baixas

  • Embraer (EMBR3): R$ 17,54 (-4%)
  • CSN (CSNA3): R$ 44,70 (-3,46%)
  • Azul (AZUL4): R$ 40,50 (-3,23%)
  • Braskem (BRKM5): R$ 60,43 (-2,67%)
  • Gol (GOLL4): R$ 21,58 (-2,49%)

Commodities

Petróleo Brent (setembro)/barril

  • segunda-feira (12): -0,52% (US$ 75,16)
  • terça-feira (13): +1,77% (US$ 76,49)
  • quarta-feira (14): -2,26% (US$ 74,76)
  • quinta-feira (15): -1,73% (US$ 73,47)
  • sexta-feira (16): -0,38% (US$ 73,19)
  • semana: -3,12%

Petróleo WTI (agosto)/barril

  • segunda-feira (12): -0,62% (US$ 74,10)
  • terça-feira (13): +1,55% (US$ 75,25)
  • quarta-feira (14): -2,82% (US$ 73,13)
  • quinta-feira (15): -2,02% (US$ 71,65)
  • sexta-feira (16): -0,27% (US$ 71,46)
  • semana: -4,18%

Ouro (agosto)/onça-troy

  • segunda-feira (12): -0,27% (US$ 1.805,75)
  • terça-feira (13): +0,14% (US$ 1.808,45)
  • quarta-feira (14): +0,94% (US$ 1.826,90)
  • quinta-feira (15): +0,22% (US$ 1.829,00)
  • sexta-feira (16): -0,95 (US$ 1.812,00)
  • semana: +0,08%