Bolsa: Braskem (BRKM5) tem a maior alta nesta quinta-feira e Qualicorp (QUAL3), a baixa

Karin Barros
Jornalista com atuação nos dois principais jornais impressos da Grande Florianópolis por quase 10 anos. Costumo dizer que sou viciada em informação, por isso me encantei com a economia, que une tudo de alguma forma sempre. Atualmente também vivo intensamente o mundo da assessoria de imprensa e do PR.
1

Crédito: Divulgação

A maior alta do Ibovespa nesta véspera de feriado foi da Braskem (BRKM5) com 2,19% para R$ 40,56.

O aumento vem após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados firmarem acordo para aumentar a produção de petróleo de forma progressiva.

De acordo com analistas de mercado, a iniciativa favorece a Braskem porque o aumento da oferta de petróleo tende a ajudar no spread do setor petroquímico.

A capital mundial dos investimentos vai invadir sua a casa! Click no link e faça sua inscrição gratuita para o evento

A grande queda do dia foi da Qualicorp (QUAL3) com -4,42% para R$ 29,01, que na quarta-feira (31) apresentou alta de 12,4% no lucro líquido do quarto trimestre de 2020.

Estímulos americanos

O Ibovespa perdeu o bonde do otimismo no exterior, no dia seguinte ao anúncio dos estímulos americanos, que pautaram o desempenho dos mercados.

Na véspera do feriado de Semana Santa, o investidor se manteve cauteloso diante dos impasses locais.

O índice fechou em baixa de 1,18%, aos 115.253,31 pontos, com giro de R$ 31,6 bilhões.

O maior catalizador é o Orçamento de 2021, que gera ruídos e incertezas.

Além dos recordes de mortes por covid-19 no radar, a falta de confiança se traduz em indicadores que ajudam a desenhar um futuro próximo difícil no País.

Produção industrial

A queda na produção industrial em fevereiro, ante janeiro, é a mais forte para o mês desde 2016 (-1,3%), abaixo do estimado e com previsão de piora.

A balança comercial de março, com saldo positivo de US$ 1,482 bilhão, foi o pior desempenho para o mês desde 2015.

A alta forte do petróleo, na esteira da decisão da Opep+, não fez diferença para Petrobras: PETR3, -1,34%; PETR4, -0,87%, em meio aos questionamentos TCU sobre a venda da Rlam.

A subida do minério em 1,48% também não tirou Vale ON (VALE3, -0,59%) e siderúrgicas (CSNA, -2,90%; GOAU4, -3,50%) da trajetória de perdas.

Bancos

A concorrência nos pagamentos via app desestimulou ainda a busca pelo setor financeiro.

Bradesco recuou forte: -3,45% (BBDC3); -3,66% (BBDC4), além de Itaú (ITUB4), em -3,06%; Santander (SANB11), em -2,65%.

Assim, varejistas, com preços descontados, e exportadoras, por dólar alto, atraíram o interesse na sessão.

Via Varejo (VVAR3) ganhou 1,49%; Klabin (KLBN11), +1,52%; Marfrig (MRFG3), +1,48%.