Depois de nove semanas, Focus projeta piora do PIB: queda de 5,31%

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

00O Boletim Focus, divulgado nesta terça-feira (8) pelo Banco Central, aponta um recuo na projeção do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, depois de nove leves melhoras sequenciais nas últimas semanas.

A projeção agora é por queda do PIB de 5,31%, ante 5,28% da semana passada.

Destaques também para um leve aumento na expectativa de inflação: 1,78% ante 1,77% da semana passada.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

PIB

Depois de nove semanas consecutivas apontando melhorias leves na projeção para o PIB, agora as instituições financeiras consultadas pelo Focus apontam uma piora. A queda prevista do PIB é de 5,31%, ante 5,28% da semana passada. Há quatro semanas, a projeção era por queda de 5,62%.

A leitura do PIB do segundo trimestre indicou recuo de 9,7% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado.

No primeiro trimestre, a economia brasileira caiu 1,5%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nos cálculos do governo federal, o recuo do PIB deve ser de 4,7% este ano, conforme o Boletim Macro Econômico.

O Fundo Monetário Internacional (FMI), por sua vez, é mais pessimista e projeta queda de 9,1% no ano.

IPCA

O Focus apresentou novo aumento na projeção para a inflação oficial do país em 2020, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). É o quarto aumento consecutivo. Ele foi de 1,77% para 1,78%.

A meta do governo para o ano é de inflação de 4%.

O resultado de agosto será conhecido amanhã (9). Em julho, o IPCA teve alta de 0,36%. Em junho, o avanço foi de 0,26%. Maio e abril foram meses de deflação.

Focus: Selic

Pela décima semana seguida, a projeção para a taxa Selic é de 2%.

De acordo com a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que cortou a taxa de 2,25% para 2%, novos cortes, se acontecerem, serão graduais e pequenos. Revelou também que as preocupações atuais do comitê são a inflação e o risco fiscal.

Segundo as análises das principais instituições financeiras, uma nova mudança na Selic só deve acontecer no meio do ano que vem.

“Eventuais ajustes futuros no atual grau de estímulo ocorreriam com gradualismo adicional e dependerão da percepção sobre a trajetória fiscal. Assim como de novas informações que alterem a atual avaliação do Copom sobre a inflação prospectiva”, afirmou o comitê na ata.

Câmbio

A expectativa para a taxa de câmbio foi mantida em R$ 5,25, como na semana anterior. Há quatro semanas, era de R$ 5,20.

Reprodução/BC

Focus: projeções para 2021

Para 2021, as projeções para os indicadores foram mantidas iguais.

A expectativa para o IPCA segue em 3% há doze semanas. A expectativa para o PIB segue em 3,5% há quinze semanas. O câmbio segue em R$ 5 há oito semanas. E a taxa Selic segue em 2,88%, como na semana passada.

Focus: 2022

Tudo igual para 2022 também.

IPCA a 3,50%; PIB a 2,50%; câmbio a R$ 4,90; e Slic a 4,50%.

Focus: 2023

Para 2023, também tudo igual à semana passada.

Selic a 5,75%; IPCA a 3,25%; PIB a 2,5%; e câmbio a R$ 4,85.

O Focus é publicado semanalmente às segundas-feiras, mas esta semana foi adiado devido ao feriado da Independência.