Boa Vista (BOAS3) adquire Konduto por R$ 172 mi; BRF (BRFS3) realiza convênio de R$ 200 mi

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Boa Vista

A Boa Vista (BOAS3) celebrou contrato de compra e venda de ações com os acionistas da Konduto Internet Data Technology, para a aquisição de ações que representam 72,2% do capital social da Konduto.

Além disso, a companhia realizou a incorporação de ações da Konduto (imediatamente após os efeitos da aquisição), de modo a tornar-se proprietária das ações remanescentes que representam 27,8% do capital da Konduto.

Assim sendo, a Boa Vista se tornará titular de 100% do capital social da Konduto.

O preço de compra global considerado pela Boa Vista é de aproximadamente R$ 172 milhões, sujeito a ajuste de preço.

Os acionistas dissidentes receberão da Boa Vista, caso exerçam o seu direito de recesso, o valor de R$ 0,673858376 por ação.

O fechamento da operação esta sujeito a obtenção de aprovação pelo Conselho de Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE

A Konduto é uma das empresas líderes em fornecimento de soluções antifraude no Brasil. O foco principal é contribuir para a segurança da operação de lojas virtuais, fintechs e meios de pagamento através do combate à fraude em transações digitais.

Em 2020, a empresa atendeu mais de 27 mil lojas e analisou mais de 244 milhões de pedidos, contribuindo com o faturamento dos seus clientes na ordem de R$ 35 bilhões.

BRF (BRFS3) realiza convênio de R$ 200 mi com Banco do Brasil (BBAS3)

A BRF (BRFS3) informou que foram assinados os primeiros contratos do convênio entre a Companhia e o Banco do Brasil (BBAS3), com o intuito de financiar a instalação de painéis de energia solar nas granjas e adequações ambientais nas propriedades dos produtores integrados da Companhia.

O referido convênio prevê a disponibilização de até R$ 200 milhões para produtores integrados em conformidade com o plano de Sustentabilidade da BRF.

A BRF estabeleceu como meta ampliar em 50% a autoprodução de energia elétrica provenientes de fontes limpas ou renováveis nos próximos 10 anos.

Linx (LINX3) alteração depositária de ações da companhia

A Linx (LINX3) comunicou que, a partir de 18 de março, o Banco Bradesco passará a ser a instituição financeira depositária das ações escriturais de emissão da Companhia, em substituição ao Itaú Unibanco.

A companhia informou ainda que os acionistas com ações em custódia na B3 continuarão a ser atendidos, normalmente, pelas suas respectivas corretoras de valores.

Devido ao processo de migração, haverá suspensão no atendimento aos acionistas no período de 12 a 17 de março, nos seguintes procedimentos: consultas de posição; transferência de ações fora de bolsa de valores; transferência de custódia; pagamentos de eventuais eventos pendentes; atualização cadastral; e registro de gravames, entre outros.

Mahle Metal Leve (LEVE3) nomeia novo diretor

O conselho de administração da Mahle Metal Leve (LEVE3) nomeou o Sr. Nathan John Quye como diretor financeiro estatutário da Companhia.

Desta forma, a diretoria passa a ser composta por dois diretores executivos, sendo o Sr. Sergio Pancini de Sá, o diretor presidente e de relações com investidores e o Sr. Nathan John Quye ora eleito, como diretor financeiro.

A companhia comunicou ainda que foi recebida pelos conselheiros e registrada a renúncia do Sr. João Vitor Zanesco do cargo de diretor de operações estatutário, assumindo, contudo posição de diretor de operações não estatutário a partir de 11 de março.