BNDES e Estados discutem privatizações no mercado de gás

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Foto: BNDES anuncia R$ 42 bilhões para aporte em saúde e folhas de pagamento

O BNDES tem estreitado os laços com os Estados para definir a melhor forma de iniciar as privatizações e dar molde ao novo mercado de gás.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Segundo Gustavo Montezano, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, a dinamização desse processo exige que se “repense” o modelo de concessão.

“O potencial de investimentos é grande, mas é preciso repensar os modelos de concessão”, afirmou o executivo, durante a transmissão online da 21ª Conferência Anual do banco Santander.

BNDES atua também no apoio técnico

Além de conversar com os Estados para definir a melhor forma de agir em relação às privatizações no setor de gás, o BNDES tem atuado em outras áreas.

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Segundo Montezano, o banco tem procurado dar apoio técnico às discussões sobre mudanças nas leis no Congresso Nacional e no assessoramento técnico ao Ministério de Minas e Energia (MME).

A ideia principal é deixar pronto um sistema de oferta da produção e demanda por parte de indústrias e geradores de energia.

Montezano revelou ainda, durante a live, que o BNDES pode ajudar na infraestrutura – a construção de um gasoduto pode exigir em torno de R$ 10 bilhões, segundo o executivo – e na conversão de veículos, plataformas de abastecimento e fábricas para usarem gás natural.

Planilha de Açõesbaixe e faça sua análise para investir