Blau Farmacêutica lucra 8,7% a mais no balanço do primeiro trimestre

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação/Blau

A Blau Farmacêutica, uma das principais companhias farmacêuticas brasileiras do segmento hospitalar (Non Retail), reportou seus resultados do primeiro trimestre de 2020.

O lucro líquido somou R$ 31 milhões, o que representa um crescimento de 8,7% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebtida, na sigla em inglês) totalizou R$ 70 milhões, um aumento de 49,1%. Já a margem Ebtida atingiu 32,1%, alta de 7,1 pontos percentuais.

De acordo com a farmacêutica, o resultado é consequência especialmente do aumento de receita, melhora da margem bruta e diluição de despesas operacionais.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 28 milhões, um aumento de 6,8 vezes sobre as perdas do primeiro trimestre de 2019.

A companhia explica que as perdas financeiras foram motivadas principalmente por despesas de variação cambial. O real depreciou rapidamente ao longo do primeiro trimestre de 2020 em função da pandemia de coronavírus.

Operacional

A receita líquida atingiu a cifra de R$ 219 milhões, avanço de 16,3%.

Segundo a Blau, o crescimento da receita foi principalmente motivado por maiores volume de produtos da unidade de especialidades

O lucro bruto totalizou R$ 100 milhões, um aumento de 28,%. Enquanto a margem bruta ficou em 45,8%, alta de 4,3 p.p.

A companhia atribui a expansão da margem bruta principalmente ao mix de produtos com margens mais elevadas (destaque para a unidade de Especialidades) e aumento de preços.

As despesas operacionais somaram R$ 34 milhões, uma elevação de 4,6%.

Investimentos

A Blau investiu R$ 6 milhões no primeiro trimestre de 2020, um crescimento de 22,1%. Os aportes foram destinados para Pesquisa e Desenvolvimento (P&D).

Dívida

A dívida líquida da Blau encerrou o primeiro trimestre em R$ 147 milhões.

A alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida / Ebtida, terminou o trimestre em 0,4 vez, mantendo-se estável em comparação com o mesmo período de 2019.

LEIA MAIS

Taesa (TAEE11) e São Carlos (SCAR3) captam; Enauta (ENAT3) e Log (LOGG3) anunciam dividendos

Oi (OIBR3), TIM (TIMP3) e Vivo (VIVT4): Justiça suspende liminar sobre cortes