Último dia de Blue Week EQI: condições especiais para os seus investimentos

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Divulgação/EQI

Até esta sexta-feira (26), aEQI Investimentos promove, em parceria com o BTG Pactual (BPAC11), uma “Black Friday dos investimentos”.

Será uma semana inteira com condições especiais exclusivas em diversos produtos de investimento, entre CDBs, COEs e LCAs, com taxas de retorno acima da média do mercado.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Para conferir a seleção exclusiva de produtos, clique aqui e preencha o formulário para que um de nossos assessores entre em contato com você.

Quais investimentos estão na Blue Week?

Confira abaixo um pouco mais sobre cada modalidade de investimento que será oferecida ao longo da Blue Week.

CDB

A sigla quer dizer certificado de depósito bancário. Trata-se de um título de dívida emitido por instituições financeiras.

Na prática, ao aplicar em um CDB o investidor empresta seu dinheiro ao banco, esperando tê-lo de volta no futuro acrescido de uma taxa de juros.

Os CDBs são sempre atrelados a algum índice, em geral a inflação ou o CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Como ambos estão elevados no momento (com IPCA e Selic em trajetória de alta), esses papéis voltaram a chamar a atenção do mercado e podem ter sua remuneração pré-fixada, pós-fixada ou híbrida. Entenda tudo sobre CDB aqui.

COE

O COE, Certificado de Operações Estruturadas, é um tipo de investimento que combina diversificação com baixo risco. Isto se dá pela oferta não de um único produto, mas de uma cesta de opções que mescla renda fixa e renda variável.

É justamente neste misto de ativos que mora a grande atratividade do COE. Enquanto a renda fixa dá segurança ao investidor, a parcela de renda variável permite ganhos atrativos.  Saiba mais sobre CEO clicando aqui.

LCA

A nomenclatura desse ativo diz muito sobre o que ele é. Em primeiro lugar, trata-se de uma letra de crédito. Isso quer dizer que é um título emitido por uma instituição financeira, como os bancos. Na prática, é você emprestando dinheiro ao banco e recebendo rendimento expresso em porcentagem do CDI.

No entanto, o dinheiro do investidor é obrigatoriamente destinado a empréstimos que visam o desenvolvimento do setor agrícola no país.

Por esta característica bem particular, o produto tem vantagens: não são cobrados o imposto de renda, nem o imposto sobre operações financeiras, o IOF, sobre os rendimentos. Saiba tudo sobre LCA aqui.

Blue Week: por dentro daEQI Investimentos

A EQI, que promove a Black Week, é uma das maiores assessorias de investimentos do país, tendo 11 escritórios espalhados pelo Brasil, mais de 35 mil clientes e mais de R$ 11 bilhões sob assessoria. Em breve, a empresa deve alcançar o status de corretora de valores.

A EQI tem entre seus sócios o BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina.

Blue Week: inspiração na Black Friday

A Blue Week remete à Black Friday, mas no lugar do preto ganhou a cor predominante no logo do BTG Pactual: azul.

A Black Friday, por sua vez, é um dia de descontos tradicional dos americanos que foi amplamente adotado também pelos brasileiros e acontece logo após o Dia de Ação de Graças nos EUA, feriado que será comemorado nesta quinta-feira (25). Mas você já se perguntou qual é a história dessa data? Nós contamos para você!

A origem da Black Friday

Algumas pessoas podem ficar confusas com um termo que remete a uma boa época de compras no comércio utilizando a palavra “negra” em sua denominação.

Normalmente essa palavra é usada para definir eventos catastróficos e, de fato, foi o que aconteceu quando a expressão começou a ser utilizada.

A primeira vez que de que se tem registro do termo Black Friday foi em 24 de setembro de 1869. Na época, a sentença foi usada por conta da elevação no preço do ouro e das consequências trazidas para o mercado dos EUA.

A economia sofreu uma quebra e, como o ocorrido se deu em uma sexta-feira, a expressão acabou sendo cunhada.

No entanto, foi somente em anos mais tarde (mais precisamente a partir de 1950) que o termo foi associado à última sexta-feira do mês de novembro.

Isso porque o feriado de Ação de Graças se dá na última quinta-feira do mês naquele país e o costume de faltar ao trabalho no dia seguinte para estender a folga por todo o fim de semana elevava o absenteísmo.

Assim, a associação da expressão à data teve seu início.

Já a união do termo ao ato de aproveitar as liquidações existentes se deu por uma perspicácia dos lojistas: percebendo que muitas pessoas usavam essa folga para ir às compras pela proximidade do natal, os descontos surgiram.

A ideia veio por uma questão mercadológica, por conta da concorrência natural de mercado. Com o tempo, a data ganhou força, os descontos passaram a ser cada vez mais agressivos e o evento se consolidou.

No Brasil, a primeira Black Friday se deu em 2010 e contava com a participação das lojas virtuais.

Com o tempo, diversos supermercados e redes de varejo passaram a participar do evento também, ofertando descontos em suas lojas físicas.

Atualmente, em volume de vendas no Brasil, a Black Friday só perde para o Natal, superando o Dia das Mães, até então a segunda maior data do varejo no país. Saiba mais sobre a Black Friday em nosso artigo sobre o tema.