Big Techs perdem mais de US$ 1 trilhão em valor de mercado em três dias

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Um trilhão de dólares. As seis maiores empresas de tecnologia perderam mais de US$ 1 trilhão de valor de mercado nos últimos três dias, em constantes quedas que as Big Techs apresentaram.

A Apple, que atingiu um valor de mercado de US$ 2 trilhões em 19 de agosto, viu evaporar cerca de US$ 325 bilhões nesse período.

A Microsoft perdeu outros US$ 219 bilhões.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Na sequência, teve a Amazon, que caiu US$ 191 bilhões. A Alphabet depreciou US$ 135 bilhões.

A Tesla, um caso especial, mergulhou 21% nesta terça-feira (8), para marcar seu pior prejuízo em um único dia em sua história.

Total do prejuízo? US$ 109 bilhões nos últimos três dias.

Por fim, o Facebook perdeu US$ 89 bilhões, o que acaba parecendo uma ninharia perto dos seus pares.

Os dados foram apresentados pela CNBC.

Bich Techs em perspectiva

Apesar dos números assustadores, segundo a CNBC, vale a pena manter a perspectiva, dado o enorme aumento de valor dos gigantes da tecnologia este ano.

No início de 2020, Big Techs valiam cerca de US$ 5 trilhões.

Na quarta-feira, 2 de setembro, atingiram um valor máximo de US$ 8,2 trilhões.

Ou seja, em nove meses, valorizaram 64%.

Após o sino desta terça-feira, juntas, as seis empresas valiam US$ 7,1 trilhões.

Uma queda de 13,41%.

Ainda há muito lucro para comemorar.

Embora seja uma grande perda em alguns dias, essas seis empresas ainda valem US$ 2,1 trilhões a mais do que no início do ano.

Vale lembrar que a humanidade enfrenta uma pandemia que gerou a maior crise da história.

“Não senti nenhum pânico nos clientes e investidores com os quais falei nos últimos dias”, disse Jared Weisfeld, do Jefferies Group.

O caso da Tesla

As ações da Tesla despencaram hoje, depois que a fabricante de veículos elétricos de Elon Musk foi deixada de fora do S&P 500 pelo comitê que decide sobre novas adições ao índice.

As ações da Tesla fecharam em queda de 21,06%, tornando-se a pior perda de um dia já registrada.

A queda trouxe a avaliação de mercado da empresa para baixo em cerca de US$ 82 bilhões, para US$ 307,7 bilhões.

Isso em um só dia.

Tudo bem, dirá o investidor de longa data. As ações estão em alta este ano em 294,68%

Primeiramente, a empresa agora vale mais do que algumas das maiores montadoras do mundo, incluindo Toyota e Volkswagen.

Depois, é bom lembrar que mais do que as parceiras na área tecnológica, a Tesla é uma bebê.

Na sexta-feira, o S&P 500 Index Committee decidiu adicionar o site de comércio eletrônico Etsy, a fabricante de equipamentos de teste automático Teradyne e a empresa farmacêutica Catalent ao S&P 500, mas não incluiu a Tesla.

Alguns investidores esperavam que a Tesla fosse incluída neste trimestre, depois que ela relatou seu quarto trimestre consecutivo de lucratividade em julho.

As ações da Tesla caíram mais de 7% após o expediente de sexta-feira após a notícia.

Tal como no Brasil, os mercados dos EUA ficaram fechados na segunda-feira (7) por causa do Dia do Trabalho.

Por aqui, foi feriado da Independência do Brasil.

Na volta do feriado, a queda abrupta.

Tesla e as Big Techs acabaram puxando os índices para baixo, o que impactou inclusive na queda do Ibovespa em 1,18%.

Divisão e novo desafio

A Tesla dividiu suas ações em 5 para 1, um movimento que viu seu valor subir significativamente na corrida, apesar de não ter nenhum impacto fundamental sobre as ações.

Mas caiu alguns dias depois, depois que Baillie Gifford, seu maior acionista externo, cortou sua participação na empresa.

Baillie Gifford disse que a redução na propriedade se deveu apenas a restrições ao portfólio.

A Tesla disse hoje que concluiu a venda de US$ 5 bilhões em novas ações.

Enquanto isso, a Nikola, uma start-up de veículos elétricos, revelou que a General Motors concordou em adquirir uma participação de 11% na empresa.

Como parte do acordo, a GM vai produzir a picape elétrica de célula de combustível de hidrogênio de Nikola, a Badger, até o final de 2022.

Enquanto Musk via sua empresa derreter na bolsa, as ações da Nikola saltaram cerca de 29% no pré-mercado

Enquanto isso, a GM saltou 6%.