Biden lista prioridades: pandemia, crise, clima e igualdade racial

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Twitter

A chapa vencedora da eleição dos Estados Unidos, formada pelo presidente eleito, Joe Biden, e pela vice-presidente eleita, Kamala Harris, lançou neste domingo (8) a plataforma online da transição presidencial.

Listou como principais desafios a pandemia, a crise econômica, o clamor por justiça racial e as mudanças climáticas.

“Estamos nos preparando para liderar no Dia Um, assegurando que a administração Biden-Harris é capaz de lidar com os desafios mais urgentes que enfrentamos”, postou Biden, no perfil oficial da transição.

A mensagem foi republicada pelo presidente-eleito Joe Biden no Twitter.

CNI: com Biden, indústria defende avanço na agenda de acordos bilaterais

“Vamos proteger e preservar a saúde de nossa nação, renovando nossas oportunidades de ter sucesso, avançando na igualdade racial e enfrentando a crise climática”, prometeu.

Biden: tarefa inédita

O perfil oficial acrescentou que o governo democrata terá pela frente uma tarefa inédita na história americana, e a preparação para enfrentá-la “será guiada por especialistas, pela ciência e com caráter”.

Em relação à pandemia, os democratas se comprometem, entre outras promessas, a ser pautados pela ciência.

Dessa forma, afirmam que pretendem consultar profissionais de saúde pública para decisões de saúde pública, a promover confiança e transparência e a assegurar que todo americano tenha acesso regular a testes confiáveis de covid-19.

Força-tarefa

A agência Reuters noticiou ainda que a Biden anunciou a criação de uma força-tarefa de 12 integrantes para combater a pandemia, que já causou mais de 230 mil mortes nos Estados Unidos.

O grupo terá pela frente a tarefa de planejar as ações que o governo Biden tomará a partir de 20 de janeiro de 2021, data prevista para a posse.

Kamala Harris

Primeira mulher e primeira mulher negra a ser eleita para a vice-presidência dos Estados Unidos, Kamala Harris usou o Twitter neste domingo para reforçar declarações de seu discurso proferido na noite de ontem.

Homenageou sua mãe e “gerações de mulheres negras que vieram antes dela e acreditaram profundamente que um momento como esse era possível nos Estados Unidos”.

“Eu espero que cada garotinha assistindo esta noite veja que este é um país de possibilidades”, repetiu a democrata.

Trump volta a fazer acusações de fraude

Já o presidente, Donald Trump, voltou a fazer acusações de fraude contra a eleição na rede social, que sinalizou aos usuários que as alegações não eram comprovadas.

O candidato à reeleição publicou que havia problemas na autenticação dos votos feitos pelo correio, que decidiram a eleição em estados chave para sua derrota, como a Pensilvânia.

Por esse motivo, Twitter marcou as postagens com um link que explica que o voto pelo correio é legal e seguro nos Estados Unidos, especialmente em meio à pandemia.

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, que também concorreu à reeleição, não se manifestou no Twitter.

Bush e Obama parabenizam Biden e Kamala

O ex-presidente americano George W. Bush parabenizou Joe Biden, na tarde de hoje (8), pela vitória na eleição dos Estados Unidos.

Em uma declaração oficial publicada no Twitter do George W. Bush Presidential Center, o republicano agradeceu ao democrata pela “mensagem patriótica” do discurso em que se declarou vencedor.

“Ainda que tenhamos diferenças políticas, eu sei que Joe Biden é um homem bom, que conquistou essa oportunidade de liderar e unificar nosso país”, disse Bush

Ele afirmou que as eleições são confiáveis, e que seu resultado é claro.

George W. Bush governou os Estados Unidos entre 2001 e 2009 e é do Partido Republicano, o mesmo de Trump, que ainda não reconheceu a derrota por alegar que houve fraude eleitoral.

O ex-presidente americano também parabenizou Trump e seus apoiadores pela “extraordinária conquista política” de somar 70 milhões de votos.

Bush acrescentou que Trump tem o direito de pedir a recontagem de votos e fazer questionamentos na justiça, e pediu confiança de que o processo eleitoral foi fundamentalmente justo.

Bush também parabenizou a vice-presidente eleita, Kamala Harris “por sua histórica eleição”. Harris será a primeira mulher e a primeira mulher negra a ocupar o cargo de vice-presidente dos Estados Unidos.

Obama: consenso

O ex-presidente democrata Barack Obama já havia publicado ontem uma declaração oficial parabenizando a Joe Biden e Kamala Harris.

Obama afirmou que o presidente enfrentará desafios extraordinários, como a pandemia, uma economia desigual e riscos à democracia.

“Eu sei que ele trabalhará com as melhores intenções para todos os americanos em seu coração, sejam eles seus eleitores ou não”, afirmou.

“Então, eu encorajo cada americano a dar a ele uma chance e oferecer a ele seu apoio”, complementou Obama.

Obama disse ainda que caberá a todos os americanos baixar a temperatura, ouvir o outro e buscar consenso para seguir adiante.

“Nossa democracia precisa de nós mais do que nunca”, postou Obama.

*Com Agência Brasil

O que os investidores precisam saber sobre o rival de Trump

Teste de impairment: para que serve e qual a sua importância?

Buffett: Berkshire Hathaway (BERK34) recompra US$ 9 bi em ações

Se você quer investir no mercado de renda variável preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos vai entrar em contato.