Biden lidera com 50%, Trump tem 41%, na pesquisa à frente das convenções dos partidos

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores

Crédito: Flickr

Segundo dados da última pesquisa realizada pelo The Wall Street Journal/NBC News, divulgada neste domingo (16), se a eleição fosse hoje, 50% votariam no democrata e ex-vice-presidente Joe Biden, enquanto 41% do eleitorado apoia o atual presidente, Donald Trump.

As convenções de nomeação de Trump e Biden a candidatos à eleição de novembro começam ainda em agosto.

Enquanto os democratas planejam realizar uma convenção nacional online nesta segunda-feira (17), os republicanos marcaram uma versão parcialmente virtual na semana seguinte.

Biden registrou aumento na aprovação de 5%, entre julho e agosto, passando para 39%.

Ainda assim, o democrata continua sendo visto de forma mais negativa do que positiva pelo eleitorado.

Prova disso é que, segundo as pesquisas, 58% dos que votariam em Biden dizem que seu voto é mais contra Trump do que a favor do candidato escolhido.

Por outro lado, aqueles que planejam votar em Trump estão mais certos de sua escolha: quase 75% afirmam que seu voto é mais a favor de Trump do que contra Biden.

Atualmente, o índice de aprovação de Trump é de 44% contra 53% que desaprovam seu desempenho como presidente dos EUA.

Na história recente, ocupantes da Casa Branca com classificações próximas a 50% ou mais geralmente venceram a reeleição.

Quando se questionou qual candidato lida melhor com a economia, Trump obteve 10% a mais do que Biden.

Porém, a maioria dos entrevistados, 58%, desaprova a forma como Trump enfrenta a pandemia de covid-19. Cerca de 53% afirmam que ele não levou a ameaça devidamente a sério no início e ainda não lida bem com ela, ante 45% em abril.

A pesquisa identificou ainda que mais de 75% dos entrevistados classificam a economia como razoável ou ruim, contra 68% em junho e 44% em dezembro do ano passado.

Quase metade dos republicanos acha que a economia é excelente ou boa, enquanto apenas 4% dos democratas dizem o mesmo.

Além de ter melhor avaliação no que se refere à economia, Trump recebe notas um pouco mais altas quando o assunto é o enfrentamento do crime.

Biden é visto como mais forte em política externa, imigração, gerenciamento de coronavírus, saúde, relações raciais e unidade nacional. Ambos obtiveram resultado semelhante para a questão “saúde mental e física para ser presidente”.

A pesquisa do Wall Street Journal/NBC News ouviu 900 eleitores  entre os dias 9 e 12 de agosto. A margem de erro é de 3,27 pontos percentuais para mais ou para menos.