Biden anuncia pacote de US$ 2 trilhões em infraestrutura para aquecer economia

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Reprodução/Instagram Joe Biden

O presidente do EUA Joe Biden anunciou nesta quarta (30) um pacote de US$ 2 trilhões para obras de infraestrutura, geração de empregos e investimentos em redes de banda larga e de postos para abastecimento de carros elétricas. As obras, disse Biden, serão implementadas nos próximos oito anos.

O projeto pretende, segundo Biden, impulsionar a economia e amenizar os efeitos provocados pela pandemia de Covid-19. É a primeira parte do pacote. O governohavia prometido mais US$ 1 tri em obras.

O plano foi revelado vinte dias após o Congresso aprovar  pacote de US$ 1,9 trilhão sugerido por Joe Biden para aquecer a economia dos EUA.

Segundo a CNBC, entre as metas do governo para o plano desta quarta (30) estão a reforma de 32 mil km de estradas e rodovias e a de 10 mil pontes.

O governo quer aumentar a taxa de imposto corporativo para 28% para financiar o plano.

Discursando em um sindicato em Pittsburgh, o presidente disse que a ideia é tornar a “a economia mais forte, mais resistente e inovadora do mundo”

O presidente sublinhou: “Milhões de empregos bem remunerados serão criados nos próximos anos.”

A proposta projeta, ainda, a instalação de uma rede nacional de 500.000 carregadores de veículos elétricos até 2030 e a substituição de 50 mil veículos de transporte público a diesel.

Biden: reforma de 500 mil casas

O governo americano, acrescenta a CNBC,  pretende construir ou reformar 500 mil casas de baixa e média renda Outra meta é  substituir todos os encanamentos de chumbo nos sistemas de água potável. “O plano também visa fornecer serviço de banda larga universal e acessível”, cita a reportagem do portal de notícias.

Em discurso sobre o pacote Biden afirmou: “Economistas projetam que economia americana crescerá 6% este ano. A economia americana se tornou desigual. Está na hora de mudar isso, a partir da base, não do topo.”

E explicou: “Meu plano nos colocará em posição para vencer a China, modernizando transportes, portos, aeroportos e pontes.”

Energia limpa

Segundo Biden, o plano de Infraestrutura ajuda na transição para veículos de energia limpa, com a a rede de carregadoras para carros elétricos.

Biden citou ainda investimentos em acesso à à internet: “Nosso objetivo é garantir que todos os americanos tenham acesso à banda larga.”

Mencionouu ainda que o “plano vai aumentar investimentos em pesquisa e desenvolvimento.”

O presidente especificou: “O plano fortalecerá competitividade em chips, energia e biotech. Podemos criar 18 milhões de empregos.”

Impostos

Completou: “Vamos aumentar imposto corporativo a 28%. Ninguém ganhando menos de US$ 400 mil ao ano terá aumento de impostos federais.”

“Com aumento de impostos, vamos gerar US$ 1 trilhão em receitas em uma década”, disse Biden,

“Vamos estabelecer imposto mínimo global de empresa a 21% e fornecer incentivo fiscal às que mantenham produção no país. Nosso plano é fiscalmente responsável, reduz a dívida pública em longo prazo.”

Ele citou nome de companhias: “Grandes empresas, como a Amazon, exploram manobras para não pagar impostos; é muito injusto. Vamos aumentar dramaticamente a supervisão para pagamento de impostos; vou ouvir republicanos e estarei aberto a suas ideias.”

Detalhamento do plano

A Casa Branca informou, segundo a CNBC, que o aumento de impostos financiará o plano de infraestrutura em 15 anos. O site especificou as medidas

  • injeção de US$ 621 bilhões em infraestrutura de transporte, como pontes, estradas, transporte público, portos, aeroportos e desenvolvimento de veículos elétricos;
  • investimentos de US$ 400 bilhões para cuidar de americanos idosos e deficientes;
  • destinação de recursos para injetar mais de US $ 300 bilhões e melhorar a infraestrutura de saneamento, além de expandir o acesso à banda larga e atualizar as redes elétricas;
  • investimento de mais de US$ 300 bilhões na construção e reforma de moradias populares, junto com a construção e reforma de escolas
  • Investir US $ 580 bilhões em esforços americanos de manufatura, pesquisa e desenvolvimento e treinamento profissional,

“Esses são investimentos que temos que fazer”, disse Biden sobre a reforma da infraestrutura dos EUA, de acordo com a CNBC. “Podemos nos dar ao luxo de fazê-los. Colocando de outra forma – não podemos deixar de fazer isso. ”

Pacote abre o apetite ao risco em NY

Antes do discurso do presidente Joe Biden, o S&P atingiu máxima intraday (3.994,41 pontos), perto de bater os 4 mil pontos pela primeira vez.

Segundo o BDM Online, o investidor aguardava o anúncio do pacote trilionário para a infraestrutura, além dos planos para acelerar a transição para energia limpa e, principalmente, o financiamento de tudo isso,  com a alta de impostos de empresas.

Com as big techs em correção das baixas recentes, lembra o BDM, as bolsas firmaram os ganhos, mas, no fechamento, houve desaceleração. O S&P a +0,37%; Nasdaq, a +1,54% e Dow Jones, que operava sem muita força, perdeu terreno a -0,25% — com o setor de energia em queda após o WTI ter fechado a menos de US$ 60 o barril e os receios em relação à demanda global de petróleo, com novos lockdowns na Europa.

“Estímulo econômico não é mais 100% virtuoso ao mercado”

“O estímulo econômico não é mais 100% virtuoso aos olhos do mercado”, disse Tom Essaye, fundador do Sevens Report, em uma nota que a CNBC divulgou.

“Isso porque trará consigo 1) rendimentos mais altos, 2) expectativas de inflação em alta e 3) erosão da ideia de que o Fed ficará em espera durante todo o ano de 2021. Além disso, todo esse estímulo está sendo usado para inaugurar aumentos de impostos sobre pessoas físicas, jurídicas e investimentos”.

A pesquisa ADP/Moodys’s, considerada uma prévia do payroll, folha de pagamentos oficial norte-americana, apontou a criação de 517 mil vagas em março.

O número revela forte recuperação do mercado de trabalho ante fevereiro, quando foram criadas 176 mil vagas no setor privado – revisadas das 117 mil anunciadas anteriormente.

Mas, ainda assim, o resultado ficou abaixo da expectativa do mercado, que projetava a abertura de 550 mil postos de trabalho.

Dúvidas sobre aprovação do plano no Congresso

Os democratas controlam as duas câmaras do Congresso, mas o partido de Biden, de acordo com a CNBC, enfrenta desafios para aprovar o plano de infraestrutura.

O líder da minoria no Senado, Mitch McConnell, senador republicano pelo Kentucky, afirmou “não ser provável” o apoio à proposta. Os motivos envolvem os  aumentos de impostos. Biden ligou, diz a CNBC, para McConnell para informá-lo sobre o plano.

O líder da maioria Chuck Schumer, de Nova York, elogiou o projeto por criar empregos e e promover energia limpa. “Estou ansioso para trabalhar com o presidente Biden para aprovar um plano grande e ousado que impulsionará os Estados Unidos nas próximas décadas”, declarou à CNBC.

“Há ainda trilhões adicionados à dívida nacional”, disse à agência Reuters o republicano McConnell.

O plano, segundo a Reuters, pode causar conflito partidário no Congresso dos Estados Unidos. Parlamentares concordam com os investimentos, mas não são unânimes em relação ao montante do pacote.

Criticam ainda Biden por nãio cumprir promessa de campanha de aumentar os impostos.

A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, porém, acredita na aprovação do plano até 4 de julho. O prazo, de acordo com a Reuters, pode aumentar porque democratas e republicanos vão disputar e debater detalhes do plano antes de chegarem a um consenso.