BEWJ39: o BDR de ETF para investir na economia japonesa

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Pixabay

O BEWJ39 é mais uma opção de BDR de ETF para quem deseja diversificar os investimentos em ativos internacionais. Isso porque esse ativo segue o índice MSCI Japan Index, que representa grandes empresas da economia japonesa.

Os BDRs de ETFs fazem parte das novidades trazidas pelo mercado de capitais brasileiro no final de 2020. Inclusive, muitos desses investimentos já estão ao alcance do pequeno investidor na bolsa.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

A seguir, entenda como funcionam os BDRs de ETFs, e conheça o BEWJ39.

Como funciona um BDR de ETF

À primeira vista, pode soar estranho investir em um BDR de ETF. Afinal, ambos os produtos estão à disposição do investidor na bolsa brasileira.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Justamente por isso esse tipo de investimento ainda não é muito conhecido pelo público em geral. No entanto, ele pode trazer vantagens ao investidor que busca diversificação em moeda estrangeira.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Diversificação com menos recursos

Uma dessas vantagens é a possibilidade de diversificação com menos recursos do que seria preciso para investir no exterior ou mesmo adquirir BDRs tradicionais, que representam uma só empresa.

Para montar uma carteira de BDRs diversificada, seria necessário adquirir uma quantidade razoável desses títulos. Além de custar mais caro do que adquirir cotas de um ETF, dificilmente o investidor teria a mesma diversificação que os “fundos de índices” proporcionam. Isso porque os ETFs replicam determinados indicadores que, por sua vez, são compostos por diferentes ativos.

Além disso, com as novas regras vigentes desde o final do ano passado, os ETFs se tornaram ainda mais acessíveis. Isso porque o lote mínimo de comercialização foi reduzido de 10 para uma unidade. Logo, é uma alternativa para quem deseja diversificar a carteira mas não dispõe de muitos recursos.

No artigo abaixo, saiba mais sobre como funcionam os ETFs.

O que é o BEWJ39

O BEWJ39 é um BDR de ETF que replica o índice MSCI Japan Index, formado por cerca de 300 companhias japonesas. O índice existe desde 1996, e os setores mais representativos em sua composição são os seguintes:

  • indústria: 20,8%;
  • consumo discricionário (ou cíclico): 18,5%
  • tecnologia da informação: 13,5%
  • saúde: 9,9%
  • comunicação: 9,5%
  • financeiro: 8,9%

Nesse sentido, algumas das companhias mais importantes que formam o índice são Toyota, Softbank, Sony Group, Keyence Corp, Mitsubishi, Nintendo e Takeda Pharmaceutical.

Características do BEWJ39

O BEWJ39 é um BDR de ETF voltado a investidores em geral. Nesse caso, quem faz a gestão é a BlackRock, e há cobrança de taxa de administração de 0,51% ao ano. Além disso, são cobrados também 30% a título de tributação sobre os dividendos, segundo as normas norte-americanas. Também há incidência de IOF de 0,38% e tarifa de 3% pelo Banco B3, depositário da maioria dos BDRs negociados na bolsa.

Por fim, o BEWJ39 também paga dividendos. Isso porque o ativo que ele corresponde nos EUA – o EWJ – historicamente paga 0,66% ao ano de dividendos aos investidores.

Dados da economia japonesa

Segundo último relatório anual do BEWJ39 (agosto/2020), o crescimento econômico do país já estava estagnado desde o final de 2019. Nesse sentido, um dos principais motivos, foi a diminuição das exportações por causa da desaceleração do comércio global.

Por sua vez, o início de 2020 trouxe o agravante do fechamento de empresas por causa da pandemia. Dessa forma, o Japão experimentou uma forte contração da atividade econômica no segundo trimestre do ano passado.

Saúde e tecnologia da informação

Após o segundo trimestre de 2020, as ações de empresas japonesas começaram a se recuperar. Isso ocorreu por causa de estímulos governamentais massivos, além da retomada gradual da atividade econômica global. Nesse sentido, os setores que mais contribuíram para o retorno do índice MSCI Japan foram os de saúde e tecnologia da informação.

Entre o setor de saúde, as empresas farmacêuticas registraram expressivos ganhos, em meio ao otimismo de investidores sobre medicamentos para pacientes com o coronavírus. Outros destaques foram os fabricantes de equipamentos médicos e purificadores de ar e as empresas que produzem tecnologia que reduzem o contato dos pacientes com os provedores de saúde.

Semicondutores

Com as restrições da comercialização de semicondutores entre Estados Unidos e China, a indústria japonesa foi beneficiada. Nesse sentido, o relatório do MSCI Japan aponta crescimento da demanda por esse produto no país, principalmente por causa das expectativas de lançamentos de serviços 5G.

Exportações japonesas

Em março desse ano, o Japão registrou o maior crescimento em suas exportações dos últimos três anos. Nesse sentido, o aumento das vendas internacionais foi de 16%, basicamente concentradas na China.

Porém, segundo especialistas, o aumento do comércio internacional ainda não é suficiente para recuperar a terceira maior economia do mundo da retração econômica intensificada nos últimos anos. Isso porque a previsão de retomada do comercio com os Estados Unidos (outro importante parceiro) é mais lenta por causa da pandemia.

A importância da diversificação internacional para os investimentos

Investir em ativos atrelados a moedas estrangeiras é uma excelente forma de mitigar o risco-país dos investimentos. Saiba mais sobre o assunto no artigo abaixo.

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.