Mastercard (MSCD34): vale a pena investir neste BDR?

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

A Mastercard é a segunda maior operadora de cartões de crédito e débito do mundo. Só perde para a Visa. A empresa responde por 30% das transações feitas e está presente em 210 países, tendo mais de 35 milhões de estabelecimentos parceiros ao redor do mundo.

A companhia está acessível, desde outubro, a qualquer investidor brasileiro, via Brazilian Depositary Receipts (BDRs). Até então, empresas estrangeiras estavam disponíveis na bolsa brasileira apenas para investidores qualificados, ou seja, com mais de R$ 1 milhão em investimentos.

O código dos BDRs da Mastercard é MSCD34.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

  • Para saber tudo sobre BDRs, clique aqui e baixe o e-book mais completo sobre o assunto 

Valorização dos BDRs

Os BDRs da Mastercard apresentam valorização de cerca de 50%. Do início do ano até 16 de novembro, eles foram de R$ 1.214,75 para R$ 1.818,30.

Já as ações da empresa, listada na bolsa de Nova York (Nyse) têm valorização de 10% no ano – de US$ 303,39 para US$ 334,45.

Confira abaixo, nos gráficos, o desempenho de ambos ao longo do ano.

Mastercard Nyse

Reprodução/Google

Mastercard BDR

Reprodução/Google

História da Mastercard

Fundada em 1966 nos Estados Unidos, a Mastercard surgiu da união de um grupo de bancos, a Interbank Card Association (ICA).

Seu crescimento foi rapidamente impulsionado pelo mundo todo, sendo que o Mastercard foi o primeiro cartão adotado na China, em 1987. Em 1993, esse país já era o segundo em volume de vendas de cartão, depois dos EUA.

A Mastercard está presente, atualmente, em mais de 200 países, possuindo mais de 25 milhões de clientes. Ela oferece, além do cartão de crédito, cartão presente pré-pago, cheques de viagem, cartões corporativos e cartão de débito (Maestro).

O valor da companhia é de US$ 333,892 bilhões. Os principais acionistas institucionais são o Vanguard Group e a Blackrock.

Desempenho na pandemia

No terceiro trimestre de 2020, a companhia apresentou lucro líquido de US$ 1,5 bilhão ou US$ 1,51 por ação. O resultado representou uma queda de 28% na comparação com o mesmo período de 2019.

De acordo com a própria Mastercard, o balanço reflete o impacto da crise do coronavírus na empresa. É que a Mastercard tem como seu segmento mais lucrativo as transações internacionais, diretamente afetadas pelos bloqueios continentais e limitações de viagens para o exterior.

Apesar de ter sido duramente atingida pela Covid-19, no longo prazo a expectativa é que a empresa retome seu caminho de crescimento. Fora do cenário de pandemia, é uma empresa que geralmente tem bons resultados.

Por conta do novo avanço do coronavírus pela Europa e Estados Unidos, no entanto, o quarto trimestre ainda deve vir com resultados bastante impactados.

“Ainda levará tempo para que as pessoas adquiram confiança na segurança das viagens”, disse o diretor financeiro da Mastercard, Sachin Mehra, em teleconferência.

“Acreditamos que isso esteja vinculado à ampla disponibilidade de vacinas e medicamentos, o que provavelmente vai acontecer no final do próximo ano”, complementou.

Como investir nos BDRs da Mastercard?

Os investidores brasileiros podem ter acesso aos chamados BDRs – Brazilian Depositary Receipts – da Mastercard.

Eles são ativos que representam ações de empresas estrangeiras.

Quem adquire um BDR está, indiretamente, participando de uma empresa no exterior. E terá direito aos dividendos distribuídos pela companhia lá fora.

Funciona mais ou menos como um fundo de investimento. O investidor não vira o dono da ação, portanto não é sócio da empresa em questão.

Para comercializar um BDR, a instituição emissora do papel adquire várias ações de empresas estrangeiras. Depois monta um “pacote” e vende partes dele aos investidores. Logo, esses títulos são como cotas.

O que é preciso fazer para investir na Mastercard?

Para adquirir BDRs da Mastercard, o investidor precisa procurar um banco ou uma corretora de valores autorizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Quer saber mais sobre como investir em BDRs ou outros ativos correlacionados ao mercado exterior? Preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.