BCE começa a trabalhar na criação de uma versão digital do euro

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/Facebook

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta semana que está começando a trabalhar para criar uma moeda que seria a versão digital do euro , à medida que mais consumidores se desfazem do dinheiro.

A duração do projeto é de dois anos, e a ideia é desenhar uma versão digital da moeda única, utilizada nos 19 membros da zona euro. No entanto, a implementação real da moeda apoiada pelo Banco Central pode levar dois anos extras, além da fase de concepção e investigação.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

“Já se passaram nove meses desde que publicamos nosso relatório sobre o euro digital. Nesse período, fizemos análises mais aprofundadas, buscamos contribuições de cidadãos e profissionais e realizamos algumas experiências, com resultados animadores. Tudo isso nos levou a decidir avançar uma marcha e iniciar o projeto do euro digital”, disse a presidente do BCE, Christine Lagarde , em um comunicado.

“Nosso trabalho visa garantir que, na era digital, os cidadãos e as empresas continuem tendo acesso à forma mais segura de dinheiro, o dinheiro do banco central”, acrescentou ela.

Lagarde previu em março um cronograma de pelo menos quatro anos para a implementação total. Em entrevista à Bloomberg News, Lagarde disse que este foi um esforço técnico e que “precisamos ter certeza de que o fazemos da maneira certa”.

A era do dinheiro (e do euro) digital começou

O euro digital permitiria aos consumidores pagar eletronicamente, sem a necessidade de notas e moedas. No entanto, isso “complementaria” o sistema monetário existente, em vez de substituir o dinheiro físico e apagar os negócios dos credores comerciais.

“Estamos entrando na era do dinheiro digital”, disse Fabio Panetta, membro do conselho executivo do BCE, em uma postagem de blog na quarta-feira.

“Soluções privadas para pagamentos digitais e online trazem benefícios importantes como praticidade, rapidez e eficiência. Mas também representam riscos em termos de privacidade, segurança e acessibilidade. E podem ser caros para alguns usuários ”, disse Panetta.

As discussões sobre um euro digital surgiram na esteira dos planos do Facebook de ter sua própria moeda digital. No entanto, as negociações se aceleraram um pouco com a pandemia, à medida que mais pessoas começaram a comprar produtos online.

“A pandemia de coronavírus mostrou quão rápido essa mudança pode acontecer. E isso está afetando a forma como pagamos. Estamos cada vez mais comprando digitalmente e online. O papel do dinheiro como meio de pagamento está diminuindo ”, finalizou Panetta.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo