BCE anuncia corte de juros e pacote para estimular economia

Matheus Leal
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução

Pacote de incentivo reflete positivamente para economia brasileira e Ibovespa atua em alta nesta quinta

O BCE, Banco Central Europeu, anunciou nesta quinta-feira (12) a redução nas taxas de juros e novas compras de ativos para estimular a economia da zona do euro. As medidas foram comemoradas pelo mercado financeiro.  A taxa de depósito foi reduzida em -0,5%. Já a taxa de refinanciamento permaneceu em 0%. Essa foi a primeira redução desde março de 2016.

Já conhece o nosso canal no YouTube? Clique e se inscreva

Apesar de serem vistas com bons olhos pelo mercado, ainda há dúvidas se as medidas serão suficientes para uma recuperação da zona do euro devido à guerra comercial entre Estados Unidos e China. Além de, claro, os imbróglios no processo do Brexit.

Em comunicado, o BCE afirmou que “espera que as compras de títulos durem o tempo necessário para reforçar o impacto acomodatício de sua política monetária e terminem pouco antes de começar a aumentar as principais taxas de juros do BCE”.

Trump esbraveja e projeções do PIB europeu diminuem

Os anúncios contribuíram para uma alta da Ibovespa e queda do dólar no Brasil, que passou a atuar em R$ 4,05. Já na Europa, o câmbio jogou o euro para cerca de 1,1 dólar. Em sua conta oficial no Twitter, Donald Trump acusou o BCE de tentar um ganho comercial com a depreciação da moeda europeia em relação ao dólar.

“O Banco Central Europeu, agindo rapidamente, reduz as taxas em 10 pontos-base. Eles estão tentando, e conseguindo, depreciar o euro contra o dólar MUITO forte, prejudicando as exportações dos EUA… E o Fed senta, senta e senta. Eles são pagos para pedir dinheiro emprestado, enquanto estamos pagando juros!”, disse Trump no Twitter.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Em entrevista coletiva, Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu, afirmou que a instituição prevê o crescimento de 1,1% do PIB em 2019. Já para o ano seguinte, algo em torno de 1,2%. No entanto, vale ressaltar que as projeções anteriores eram de 1,2% e 1,4%, respectivamente.