BC: investimento direto no Brasil soma US$ 4,8 bilhões

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: BC: investimento direto no Brasil soma US$ 4,8 bilhões

Os ingressos líquidos em Investimentos Diretores no País (IDP) somaram US$ 4,8 bilhões em junho. Nos doze meses encerrados em junho de 2020, o IDP totalizou US$71,7 bilhões, correspondendo a 4,41% do PIB, em comparação a US$67,5 bilhões (4,05% do PIB) no mês anterior. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (28) pelo BC (Banco Central).

Os investimento diretos em maio haviam sido de US$ 2,6 bilhões.

Já o saldo na conta corrente brasileira em junho foi superavitária em US 2,2 bilhões ante o déficit de US$ 2,7 bilhões em junho de 2019. Este é o quarto resultado superavitário divulgado pelo BC.

Houve redução de US$2,2 bilhões no déficit em serviços e aumento de US$2,2 bilhões no superávit comercial.

O déficit em transações correntes no primeiro semestre de 2020 somou US$9,7 bilhões. Foi um recuo de 53,6% em relação aos US$ 21 bilhões registrados no período correspondente de 2019, segundo o BC.

BC: investimento direto no Brasil soma US$ 4,8 bilhões

 

Exportações recuam, diz BC

As exportações de bens totalizaram US$ 18 bilhões em junho, diz o BC. Ou seja, um recuo de 2,3% em relação ao mês correspondente de 2019.

Na mesma base de comparação, as importações de bens diminuíram 19,1%, para US$ 11,1 bilhões.

Na comparação entre os primeiros semestres de 2020 e de 2019, as exportações reduziram 6,8%, para US$ 102,2 bilhões. Mas as importações recuaram 5,0%, para US$ 82,9 bilhões.

Assim, o superávit comercial de bens na primeira metade de 2020 alcançou US$19,3 bilhões. Uma redução de 13,8% comparativamente aos US$ 22,4 bilhões observados no mesmo período de 2019.

O déficit na conta de serviços atingiu US$ 1,4 bilhão no mês. Assim, segundo o BC foi um recuo de 61,4% ante resultado de junho de 2019, US$3,6 bilhões.

A pandemia permanece afetando a conta de viagens internacionais. Observou-se diminuição interanual de 93,7% nas despesas líquidas, para US$ 72 milhões em junho de 2020, em comparação a US$ 1,2 bilhão no mesmo mês do ano anterior. Ainda na comparação interanual, ocorreram recuos de 55,3% e de 84,3% nas receitas e despesas de viagens, respectivamente.

Reservas internacionais atingem US$ 348 bi

O estoque de reservas internacionais atingiu US$ 348,8 bilhões em junho.

O aumento de estoque de US$ 3,1 bilhões no mês decorreu, principalmente, do resultado positivo de US$ 1,8 bilhão nos diferentes instrumentos de intervenção no mercado de câmbio.

Ou seja, houve US$1,8 bilhão de retorno líquido em linhas com recompra, US$ 1,1 bilhão de retorno líquido nas operações compromissadas em moeda estrangeira, e US$1,0 bilhão de vendas à vista.

Por fim, para julho, a estimativa do BC para o resultado em transações correntes é de superávit de US$ 0,5 bilhão. A IDP deve registrar ingressos líquidos de US$2,0 bilhões.