BC: fluxo cambial do ano fechou outubro negativo em US$ 20 bilhões

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Banco Central (BC) informou nesta quarta-feira (4) que o fluxo cambial em 2020 chegou ao fim de outubro negativo em US$ 20,008 bilhões.

O número é similar ao registrado no mesmo período do ano passado, ocasião na qual o resultado informado foi negativo em US$ 21,465 bilhões.

O resultado do ano está diretamente ligado aos efeitos da pandemia de covid-19 sobre a economia. Durante a crise, investidores aceleraram em março e abril o envio de dólares a outros países, em movimento de busca por segurança. Posteriormente, verificou-se certa acomodação nos fluxos.

Juliano Custódio. Henrique Bredda. Luiz Barsi. Gustavo Cerbasi.

Estamos Ao Vivo!

No ano até 30 de outubro, a saída líquida de dólares pelo canal financeiro foi de US$ 52,765 bilhões. Este resultado é fruto de aportes no valor de US$ 387,574 bilhões e de envios no total de US$ 440,339 bilhões. O segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo acumulado ficou positivo em US$ 32,757 bilhões, com importações de US$ 130,644 bilhões e exportações de US$ 163,401 bilhões.

Fluxo cambial de outubro

De acordo com os dados divulgados pelo Banco Central, o Brasil fechou o mês de outubro com fluxo negativo de US$ 1,311 bilhão.

O canal financeiro registrou saída líquida de US$ 560 milhões no período, que teve aportes totais de US$ 31,597 bilhões e retiradas no total de US$ 32,157 bilhões.

O saldo do comércio exterior, que na somatória do ano é positivo, ficou negativo em US$ 751 milhões quando o recorte é feito somente em cima de outubro.

O resultado foi construído com importações de US$ 14,531 bilhões e exportações de US$ 13,780 bilhões.

Vem aí a Money Week, maior evento de Investimentos da América Latina. Inscreva-se